Radio Calema
InicioMundoÁfricaNigéria: Ataque a aldeia no centro do país fez 13 mortos

Nigéria: Ataque a aldeia no centro do país fez 13 mortos

Treze pessoas foram mortas por um grupo armado durante um ataque a uma aldeia no centro da Nigéria, na terça-feira à noite, segundo afirmaram hoje as autoridades locais.

A região noroeste e central da Nigéria tem sido durante vários anos o cenário de violência por grupos armados, conhecidos localmente como “bandidos”, que atacam aldeias, roubam gado, pilham e raptam para pedir resgates.

Este ano, estes bandos visaram escolas e universidades, raptando mais de 1.400 estudantes, de acordo com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

“Na terça-feira à noite, bandidos de Kaduna e de outros estados vizinhos cercaram a aldeia de Kachiwe, no distrito de Munia, e lançaram um ataque”, disse Muhammad Idris, oficial de informação do estado do Níger, no centro da Nigéria.

“Contámos 13 corpos”, disse à agência AFP, acrescentando que o número de mortos ainda poderá aumentar.

“Os aldeões correram para se esconder, alguns foram levados para o hospital”, referiu.

Os bandos criminosos refugiam-se geralmente no abrigo da floresta do Rugu, que se encontra nos Estados de Kaduna, Katsina, Zamfara e Níger.

Uma operação militar está em curso desde o início de setembro no Estado de Zamfara, o principal esconderijo dos bandidos, e os Estados vizinhos estão preocupados com o movimento destes grupos para o seu território.

Introduziram restrições, incluindo o corte das redes telefónicas, para impedir que os grupos armados troquem informações sobre os movimentos das tropas.

O Estado de Kaduna foi o último a ter cortada a sua rede em parte do território, na quinta-feira.

As restrições, porém, estão a agravar as dificuldades económicas da população nestas áreas, já afetada pela pobreza extrema.

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.