Radio Calema
InicioAngolaSociedadeAs melhores praias de Angola e as que 'levam' nota negativa dos...

As melhores praias de Angola e as que ‘levam’ nota negativa dos especialistas

Se nos últimos 18 meses não pode pisar a areia e banhar-se nas quentes e salgadas águas angolanas, devido ao encerramento das praias, forçado pelas restrições impostas para controlo da Covid-19, os paraísos de água quente, sol e areia estão de volta, agora que terminaram as restrições sanitárias para controlo da pandemia.

Mas atenção, verifique bem onde põe os pés e onde se banha, porque há “praias de petróleo” e outras altamente poluídas que podem por em causa a saúde pública.

Com uma costa de 1.650 km, Angola tem praias paradisíacas, onde é obrigatório pisar o areal e banhar-se nas águas límpidas e quentes, quase perfeitas na sua localização, que nos remetem para fora do busílis de Luanda e de outras capitais de província.

Na lista das bem-amadas, Angola tem para oferecer um refúgio chamado Cabo Ledo e à distância desta uns escassos quilómetros apenas outra opção que é Sangano, ambas a Sul de Luanda, tidas como as melhores do País pelos especialistas em matéria ambiental, dada a distância a aglomerados populacionais. Quando se fala de praias em Angola não pode por isso deixar de experimentar estes dois refúgios da costa atlântica.

Mas para além destas, os angolanos têm mil motivos para fazerem turismo interno.

Praia de Porto Amboim
(DR)

https://youtu.be/c5FHoyJeDfE
O ambientalista Vladimir Russo disse ao Expansão que, apesar de não haver uma classificação das praias no nosso País, estas são consideradas as melhores, por estarem numa região longe das infraestruturas industriais e aglomerados populacionais. Aliás, nestas zonas, não há focos de lixo, como se registam nas outras praias mais movimentadas, por estarem próximo das grandes cidades. O especialista avança que na Europa, por exemplo, “as praias são classificadas pela qualidade da água e, depois disso, são aplicadas bandeiras azuis, que as certifica como as melhores”, acrescentou.

Já o operador turístico e presidente da Associação dos Hotéis e Resorts de Angola (AHRA), Ramiro Barreira, afirmou ao Expansão, que o Ministério da Cultura Turismo e Ambiente (MCTA) deveria criar um programa específico para protecção das praias.

E dá como exemplo o Mussulo, que não tem um plano director de protecção turística. O mesmo caso acontece com a ilha do Cabo.

“Devia criar-se uma política ambiental proteccionista em relação às praias, para se evitar que sejam erguidas habitações nas zonas balneares como acontece no Mussulo e na ilha do Cabo. Ou seja, o Estado devia agravar as taxas do Imposto Predial (IP) para quem tem e quer construir uma habitação nestas regiões”, destacou.

A falta de infraestruturas como restaurantes e balneários, nas restantes praias do País, atractivas mas não protegidas, são factores que condicionam o desenvolvimento do turismo, garantiu o responsável.

Quanto à segurança, o responsável do sector turístico em Angola, acrescenta que deve-se colocar salva-vidas nas praias

Restinga, Lobito. Província de Benguela
(DR)

Outras praias de tirar o fôlego

Existem em Angola praias de águas quase virgens e bastante limpas, porque são pouco frequentadas e ficam bem longe da vista da exploração petrolífera, quase todas no litoral sul, entre Benguela e Namibe.

A verdade é que Angola tem um litoral com uma extensão de 1.650 km de norte a sul. As províncias de Cabinda, Zaire, Bengo, Luanda, Cuanza Sul, Benguela e o Namibe, são as zonas banhadas pelo oceano Atlântico.

O caso de Cabinda, região onde se encontram algumas praias de tirar o fôlego, é possível dar uns mergulhos ou pinos, como se diz na gíria angolana, mas também praticar a famosa pesca desportiva.

Nesta região encontram-se, por exemplo, as praias do Girassol, da Missão, de Lândana, 10 de Maio, Malembo, Cabassango, Chinga, Fútila, Mandarim e Capelo, são os destinos, que, no conjunto, podem garantir uma bela estadia aos turistas nos finais de semana.

Quem quiser relaxar na província do Bengo, depois de uma jornada laboral intensa, os caminhos podem dar às praias da Barra do Dande, Catumbo, Pambala e Santiago, praias que oferecem garantia de sossego a muitas famílias da região norte.

Outra zona a destacar é a praia do Sarico, também conhecida como “cemitério dos navios”, por se encontrarem lá vários barcos encalhados há anos, que, com o tempo, acabou por se tornar num lugar atractivo para os turistas e também para quem quer comercializar material ferroso.

Outro lugar aconselhável para os turistas é a agradável praia do Mussulo, que, é frequentada maioritariamente por turistas estrangeiros. No Mussulo encontram-se alguns resorts.

Depois de pagar a portagem na ponte sobre o rio Kwanza, o Porto Amboim (Cuanza Sul), é um outro lugar onde se encontra uma praia bastante calma. É um bom lugar para fugir da agitação de Luanda.

Para os turistas que se deslocam à província de Benguela existe uma bela praia e limpa na Restinga do Lobito.
(DR)

Praias com “nota negativa”

As praias de Cabinda têm sido invadidas pelos constantes derrames de petróleo provenientes das plataformas das empresas que exploram na região o combustível fóssil.

Na província do Zaire encontram-se outras parais pouco “apetecíveis” para o desfrute dos turistas, tudo porque na zona quem toma conta das águas do mar em determinadas alturas são os lençóis de crude. As águas nas praias do Impanga, Tombe, Campo 8, Kifuma, Kikando, bem como a famosa praia dos pescadores são escuras.

A Restinga e as duas Baías em Benguela

Para os turistas que se deslocam à província de Benguela existe uma bela praia e limpa na Restinga do Lobito. Quando se está na praia da Restinga temos a sensação de estar na ilha do Cabo, em Luanda, por dispor de diversos restaurantes e bares. A diferença é que as águas nas praias da Restinga são mais limpas do que as da ilha do Cabo, na capital.

Outro roteiro turístico em Benguela é a famosa praia da Baía Azul. Fascinante aos olhos de quem vê pela primeira vez. Esta praia tem características próprias, não se compara com as restantes praias do País. Muitos habitantes da região consideram-na a melhor da província.

Um outro destino é a praia da vila piscatória da Baía Farta, com o seu enorme areal, absolutamente deserto, onde é preciso caminhar umas centenas de metros para chegar ao mar.

Incomparáveis são as praias paradisíacas da província do Namibe. Para muitos apenas conhecida pelo deserto com o mesmo nome da província, lá é possível frequentar várias praias como a dos Flamingos, Mariquita, Barreiras, Azul, praia Amélia, a famosa Baía das Pipas, entre outras. As praias do Namibe são consideradas as melhores do País, sobretudo, por albergar turistas das províncias da região sul, e estrangeiros provenientes da Namíbia e África do Sul.

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.