Radio Calema
InicioMundoÁfricaGoverno do Ruanda acusado de utilizar o Spyware Pegasus para vigiar os...

Governo do Ruanda acusado de utilizar o Spyware Pegasus para vigiar os seus vizinhos

O Ruanda, está a ser acusado de ter grampeado uma série de conversas de altos funcionários do Uganda, de acordo com uma recente investigação de reportagem global, que revela o plano Pegasus, descrito no Relatório de Crime Organizado e Corrupção.

O relatório com a análise descritiva, com todas as informações, foi apresentado em hasta pública esta segunda-feira, pelo OCCRP descrevendo como o Ruanda grampeava as inúmeras conversas telefónicas de altos funcionários do Uganda, incluindo o ex-primeiro ministro Ruhakana Rugunda e o ex-ministro das Relações Exteriores Sam Kutesa.

Joseph Ocwet, director geral da Organização de Segurança Externa, também tinha o seu telemóvel rastreado de acordo com as informações apresentadas no relatório, através do spyware fabricado em território israelita.

De referir que as relações entre o Ruanda e o Uganda foram recentemente manchadas por contra-acusações de espionagem e envolvimento em actividades com o intuito de desestabilização mútua entre os dois países.

Recentemente o Uganda deportou vários funcionários especialistas em telecomunicações, incluindo um cidadão ruandês, acusando-os de comprometer a segurança nacional.

Importa salientar ainda que a disputa diplomática entre o Ruanda e o Uganda foi travada nos últimos anos por intermédio das redes sociais, numa altura em que altos quadros pertencentes aos dois governos trocavam acusações sobre a génese do então conflito.

O OCCRP, identificou uma vasta lista  no mesmo relatório, onde aparece o número do membro sénior do Gabinete Sam Kutesa, ex-General das Forças, o Chefe de Defesa, David Muhoozi, o oficial sénior de inteligência Joseph Ocwet e uma das figuras importantes da oposição, Fred Nyanzi Ssentamu.

A visita do presidente Paul Kagame, coincidiu com a divulgação da lista telefónica, onde, por sua vez, mostra que o governo Ruandês pode ter usado o Pegasus com o intuito de atingir figuras políticas e militares de alto escalão em países vizinhos.

De relembrar que vários números de figuras importantes no Uganda, Burundi e República Democrática do Congo, aparecem nos dados divulgados. O Ruanda teve relações frias com esses vizinhos ao longo dos anos, onde por sua vez patrocinou grupos armados no Leste da RDC, criticando o Uganda por abrigar milícias anti-RPF e foi acusada pelo Burundi, de conspirar para derrubar o seu presidente.

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.