InicioMundo LusófonoS. Tomé e PríncipeProfissionais da televisão pública são-tomense entram em greve por tempo indeterminado

Profissionais da televisão pública são-tomense entram em greve por tempo indeterminado

Na véspera do início da campanha para as eleições presidenciais, jornalistas e técnicos exigem aplicação do regime esepcial e pagamento dos subsídios da Covid-19

Jornalistas e técnicos da Televisão São-tomense (TVS) deram início nesta sexta feira, 2, a uma greve por termpo indeterminado, confirmando o aviso feito ontem.

Em causa, a não implementação do Regime Especial da Comunicação Social e o atraso no pagamento dos subsídios da Covid-19.

A paralisação, que coincide com o arranque oficial da campanha eleitoral para as eleições presidenciais de 18 de Julho, é vista como uma forma de pressão ao Governo, numa altura em que a televisão pública tem a missão de transmitir os tempos de antena dos candidatos.

Sede da Televisão São-Tomense (TVS).
(DR)

O certo é que a Comissão dos Trabalhadores, pela voz da jornalista Sónia Lopes, acusa o Executivo de ignorar as suas preocupações no que toca à implementação do Estatuto de Carreira e o Regime Especial aprovados há cerca de dois anos.

“Estamos há vários meses a reivindicar esta situação e o Governo tem feito promessas que não se concretizam. Agora dizem-nos que a implementação do documento depende da aprovação pela Assembleia Nacional da lei de reajuste salarial na função pública”, afirma Lopes.

Os profissionais da TVS dizem–se cansados de promessas não materializadas e decidiram paralisar as suas actividades por tempo indeterminado.

“A adesão dos técnicos e jornalistas é de 100 por cento e, apesar de algumas ameaças de despedimento, cortes de salários, expulsão e insultos, nós não vamos nos intimidar”, garante Jorge Do Ó, para quem que “é caricato o Governo tentar colar o nosso Regime Especial ao ajuste salarial na função pública porque uma coisa não tem a ver com a outra”.

Aquele profissional pede a solidariedade dos colegas de outros órgãos estatais da comunicação social porque “é algo que tem a ver com toda a comunicação social, não é uma luta só dos profissionais da TVS”.

O Governo ainda não reagiu à greve.

FonteVoA

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.