InicioEconomiaProdução de energia na barragem da Matala só em 2022

Produção de energia na barragem da Matala só em 2022

O primeiro de três grupos geradores da barragem da Matala, na Huíla, actualmente em reparação, retoma a produção de energia eléctrica só em Maio de 2022, numa potência de 13,5 megawatts, processo que abrange outros dois nos meses seguintes, disse o ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges.

Essa turbina hidraúlica avariou em Dezembro de 2019 e os outros dois não produzem desde 2020, devido a obras de engenharia civil na estrutura física da barragem.

Segundo o ministro, que falava na última sexta-feira no município da Matala, com o término da primeira unidade geradora, haverá energia para atender as necessidades da Matala, Quipungo e parte do Lubango.

O responsável disse estar na forja a reparação preventiva das duas outras unidades de produção de energia eléctrica, cada um com uma potência de 13,5 megawatts, num prazo de 12 meses.

Turbina Da Barragem Da Matala.
(Morais Silva)

Para o ministro, tendo em conta o crescimento populacional que se verifica na Matala e Lubango, assim como noutros municípios da província, deve-se manter o ritmo de investimento no sector eléctrico e na expansão das redes de distribuição.

Na Huíla são controlados 86.200 consumidores de eneregia eléctrica da rede pública, disrtribuídos em cinco dos 14 municípios.

A barragem hidroeléctrica da Matala começou a ser construída em 1954, no curso do rio Cunene. Depois da sua inauguração, passaria a chamar-se barragem Salazar, atravessada por uma ponte com 929 metros de comprimento em dois tabuleiros, sendo um para automóveis e outro para comboios.

O ministro concluiu hoje, sábado, visita de trabalho de dois dias à Huíla, onde para além da energia, avaliou programas ligados à água.

FonteAngop

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.