InicioAngolaSociedadeViolência sexual no país atingiu 585 crianças

Violência sexual no país atingiu 585 crianças

Um total de 585 casos de violência sexual contra a criança foi registado, durante o primeiro trimestre deste ano, em todo o país, revelou, ontem, em Luanda, a directora-adjunta do Instituto Nacional da Criança (INAC).

Elisa Gourgel, que falava durante uma palestra subordinada ao tema “A Prevenção e Combate à Violência Sexual contra a Criança”, organizada pela associação “Okwimba”, referiu que dos 585 casos, pelo menos, 400 já foram encaminhados a tribunal para o devido tratamento judicial.

A directora-adjunta reconheceu que o INAC está preocupado com o número de casos diários de crianças maltratadas e violentadas sexualmente por adultos em casa, na rua, na escola e em outros ambientes.

“É de lamentar! Diariamente, ouvimos e recebemos denúncias de vários casos de crianças que são molestadas por adultos que podiam ser os protectores, cuidadores e instrutores das nossas crianças”, lamentou Elisa Gourgel.

De acordo com a directora-adjunta do INAC, a situação é mais preocupante ainda, quando os casos de violência sexual não só acontecem no seio familiar, mas, agora, envolvem protagonizados membros de igrejas e de instituições escolares.

Para Elisa Gourgel, esta prática coloca em perigo o desenvolvimento absoluto da criança. Por isso, reforça a ideia de que “ao menor deve ser dado todo o carinho, atenção e, acima de tudo, o respeito que ela merece”.

A responsável do INAC alertou as famílias, particularmente aos progenitores, para reflectirem sobre a necessidade de reforçarem os cuidados e a vigilância que se deve dar aos filhos enquanto menores.

“Só assim as crianças crescerão saudáveis. E os pais precisam de ser mais activos e fiscalizadores dos meninos, para que possam conhecê-los melhor”, defendeu a directora-adjunta do INAC.

FonteJA

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.