InicioAngolaPolítica"27 de Maio": Homilia reforça a importância do perdão

“27 de Maio”: Homilia reforça a importância do perdão

A homilia em memória das vítimas do “27 de Maio de 1977”, realizada no Cemitério da Santa Ana, em Luanda, reforçou hoje a importância do perdão e da reconciliação face aos acontecimentos que enlutaram famílias e gerações.

O padre católico Celestino Epalanga, que dirigiu a missa realizada momentos depois do ministro da Justiça e dos Direitos Humanos, Francisco Queiroz, depositar uma coroa de flores simbólicas à entrada do campo santo, afirmou que as pessoas que perderam a vida naquela purga foram “vítimas da nossa incapacidade de aprender e perdoar os outros.”

Membro da Comissão para a Implementação do Plano de Reconciliação, o prelado sublinhou que “só Deus tem o poder de sarar as feridas e as mágoas acumuladas nos últimos 44 anos.”

Sem desprimor a outros conflitos armados que também fizeram vítimas humanas, o padre pediu que “seja elevado o grito a Deus para que nos leve ao arrependimento.”

A homilia juntou cerca de 200 pessoas no cemitério da Santa Ana, de onde políticos, entidades religiosas e da sociedade civil partiram em marcha automóvel até ao Largo 1º de Maio, para o último acto reservado de homenagem às vítimas do 27 de Maio.

Entrega de certidões de óbitos

No Largo da Independência, a cerimónia prevê a entrega de certidões de óbitos a entes-queridos de duas vítimas do 27 de Maio, a leitura de mensagens de familiares das vítimas, dos antigos combatentes das extintas Forças Armadas Populares de Libertação de Angola (FAPLA), intervenções de um representante da Fundação 27 de Maio e de um responsável da Comissão para a Implementação do Plano de Reconciliação, além da actuação de músicos que cantaram o hino em memória das vítimas do 27 de Maio.

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.