InicioDesportoFutebolDesgaste, desafio e propostas: O que pesa na decisão de Sérgio Conceição

Desgaste, desafio e propostas: O que pesa na decisão de Sérgio Conceição

Treinador termina contrato com o FC Porto já em junho e ainda não decidiu se irá renovar.

Sérgio Conceição termina contrato com o FC Porto já no próximo mês de junho, e, para já, ainda não há ‘fumo branco’ tendo em vista a renovação, o que significa que o eventual ‘adeus’ ao Dragão é um cenário que vai ganhando cada vez mais força.

O Desporto ao Minuto sabe que, apesar da proximidade do final do vínculo, o treinador ainda não tomou qualquer tipo de decisão quanto ao futuro próximo. Algo que, de resto, apenas deverá ocorrer após a receção ao Belenenses SAD, partida que dará por encerrada a temporada azul e branca.

Jorge Nuno Pinto da Costa mantém a convicção de que, mais cedo ou mais tarde, ambas as partes chegarão a acordo para o prolongamento do contrato, tal como tornou público no passado mês de abril, quando, em entrevista concedida ao Porto Canal, atirou: “Mal acabe o campeonato, arrumaremos o assunto”.

Certo é que, para já, o desfecho está longe de ser tão cristaliano quanto o presidente dos dragões ‘pintou’. É verdade que Sérgio Conceição se sente feliz no clube, com o qual mantém uma ligação de já largos anos, quer enquanto treinador, quer enquanto jogador, mas há vários fatores com os quais este se continua a debater.

UEFA e Sporting ‘ajudam’

Um elemento potencialmente decisivo para que Sérgio Conceição venha a dar o ‘sim’ ao FC Porto tem a ver com o facto de o clube estar, de uma vez por todas, prestes a libertar-se das ‘amarras’ impostas pela UEFA devido ao incumprimento do fair-play financeiro, o que proporcionará toda uma nova realidade.

O treinador saber que, pela primeira vez desde que chegou ao Dragão, terá a possibilidade de montar uma equipa ao seu gosto, especialmente se conseguir garantir o acesso direto à Liga dos Campeões, algo para o qual está bem encaminhado, já que ocupa a segunda posição da I Liga, com quatro pontos de vantagem sobre o Benfica.

Isto significa que terá ao seu dispor mais dinheiro para investir em reforços, o que lhe significa que, pelo menos teoricamente, apontará a outro tipo de alvos. Além disso, também já não terá de se preocupar com a limitação no número de inscritos nas provas europeias, o que proporcionará outro tipo de competitividade.

Outro fator a ter em conta dá pelo nome de… Sporting. Sérgio Conceição nunca virou a cara a nenhum desafio (bem pelo contrário) e está entusiasmado com o facto de, em 2021/22, ter que se superar para recuperar o título de campeão nacional, que deixou escapar, esta época, para o conjunto orientado por Rúben Amorim.

Desgaste já começa a pesar

Por outro lado, Sérgio Conceição já começa a acusar o desgaste acumulado de quase quatro anos no comando técnico do FC Porto, no seguimento das várias ‘batalhas’ que travou, não só dentro, como também fora das quatro linhas, onde fez sempre questão de encarar os obstáculos de frente.

O antigo internacional português sente-se de tal forma cansado de tudo aquilo que tem vindo a acontecer desde 2017 que não descarta, inclusive, a opção de vir a tirar o chamado ‘ano sabático’ de forma a recuperar energias para vir a abraçar, um pouco mais tarde, uma nova ‘aventura’.

É precisamente desgaste que levou a que o técnico ainda não tenha tomado uma decisão final quanto às pretensões de Pinto da Costa. No entanto, sabe que o tempo não corre a seu favor, até porque, além do presidente do FC Porto, há também ‘donos’ de outros convites a aguardar uma resposta…

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.