InicioCulturaMúsicaOs 5 artistas congoleses mais ricos

Os 5 artistas congoleses mais ricos

Os artistas mais ricos do continente africano são congoleses. Em primeiro plano, de acordo com a classificação que o vídeo apresenta temos o Werrason, o líder do grupo Wenge Musica e impulsionador do estilo Domboló, com mais 100 mil exemplares de discos vendidos e  uma fortuna avaliada em 10 milhões de dólares americanos. A seguir encontra-se o artista JB MPiana, com 12 milhões de dólares americanos.

Koffi Olomidé, considerado como a lenda africana é senhor de uma fortuna avaliada em 20 milhões de dólares, tendo abarrotado o estádio dos Mártires de Kinshasa, em 2001, com mais 250 mil espectadores. Com 40 anos de carreira, Koffi gravou 28 álbuns.

Fally Ipupa tem um pecúlio avaliado em 35 milhões de dólares americanos e também um dos mais influentes do continente africano. É o artista mais bem pago da RDC. Faz parte dos 50 africanos mais influentes.

Mestre Gim é um rapper com fortuna avaliada em 160 milhões de dólares. De nome próprio Gandhi Juna é filho de um artista que pertenceu ao grupo Viva la Musica de Papa Wemba.


OS 5 ARTISTAS CONGOLESES MAIS RICOS – You Tube 2020

A implantação da indústria fonográfica no antigo Congo belga, actual República Democrática do Congo ocorreu na década de 50, do século XX e permitiu a expansão da música congolesa no continente africano, tornando-a muito popular e de grande consumo.

Hoje ocupa um lugar privilegiado nas grandes capitais do continente negro e Angola não foge à regra, constituindo um espaço de penetração e divulgação, que vai além dos factores típicos da vizinhança  e origem étnica das populações fronteiriças,  permitindo que os seus artistas se tornem entre nós,  grandes vedetas, influenciando o mercado com os seus valiosos critérios de concepção musical.

 

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.