InicioMundoÁfricaRDC - Charles Michel: "A UE sempre apoiou a luta do Dr....

RDC – Charles Michel: “A UE sempre apoiou a luta do Dr. Mukwege”

Presente em Paris para a cimeira sobre as economias africanas, Charles Michel, o Presidente do Conselho Europeu, quis desempenhar um papel facilitador. Para além das questões económicas, também está convencido de que a União Europeia tem um papel a desempenhar no continente, desde a situação da segurança no Sahel aos conflitos que assolam o leste da RDC, incluindo as tensões no Corno de África.

Antes de assumir a presidência do Conselho Europeu em dezembro de 2019, órgão que congrega chefes de Estado ou de governo dos 27 países membros da União Europeia (UE), Charles Michel fez sua primeira carreira política na Bélgica. Este francófono de 45 anos foi bourgmestre naquela cidade e, aos 32, Ministro da Cooperação para o Desenvolvimento.

De 2014 a 2019, ele foi então primeiro-ministro do reino, uma missão complicada quando as coalizões políticas se estilhaçaram uma após a outra à mercê das rachaduras entre os flamengos e os valões. 

Ele deixou o cargo no final de 2019 após ser escolhido para suceder ao polonês Donald Tusk à frente do Conselho Europeu, órgão criado em 2009 e que não deve ser confundido com a presidência da Comissão Europeia, atualmente ocupada pela alemã Ursula von der Leyen. 

Apaixonado pela África, convencido de que os destinos do continente e da Europa estão ligados, Charles Michel estabeleceu, por vezes, laços de amizade com muitos líderes e não mediu esforços, desde a sua nomeação em Bruxelas, para promover o diálogo e colaborar com a UE e a União Africana ( AU). Sem descurar as relações bilaterais. Nos últimos meses, vimo-lo visitar o Quénia, a RDC, Angola e o Ruanda, país com o qual não esconde que mantém, pela sua nacionalidade belga, uma relação muito especial.

Tendo vindo a Paris para participar na cimeira sobre o financiamento das economias africanas, tentou influenciá-la com todo o seu peso para que os países europeus colaborassem o mais estreitamente possível com os seus vizinhos do sul.

Jeune Afrique: O que você acha do “New Deal” que Emmanuel Macron está pedindo, que acolheu chefes de estado africanos na cúpula sobre o financiamento das economias africanas? 

Charles Michel: Com o Covid, a ideia de um New Deal é apoiada por um número crescente de jogadores na Europa e existe uma consciência muito ampla do imperativo de relançar as relações com a África. Vejo uma grande convergência, não só nas falas, mas também na forma de agir. 

A ideia segundo a qual a primeira prioridade é o setor financeiro, que permitirá uma recuperação levando em conta nossos interesses comuns, como a proteção do clima ou o fortalecimento dos sistemas de saúde, é amplamente compartilhada. 

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.