InicioAngolaPolíticaJovens do Zaire pedem "basta" a injustiças

Jovens do Zaire pedem “basta” a injustiças

Manifestantes de diferentes estratos sociais da província do Zaire foram às ruas para protestar contra o Governo central. Os jovens exigem obras de infraestrutura e o cumprimento de promessas eleitorais.

Essa foi a primeira vez em 46 anos de independência que os jovens na província angolana do Zaire se manifestaram para exigir os seus direitos. Muitos dos cartazes carregados pelas centenas de participantes diziam: “O Zaire diz basta às injustiças da parte do Governo central”.

No local marcado para a concentração este sábado (15.05), na cidade de Mbanza Kongo, António Castelo, um dos subscritores do ato, fez a leitura do manifesto popular no qual os jovens criticam a falta de desenvolvimento da província e o facto de o governo central, segundo eles, não incluir o Zaire nos projetos de âmbito nacional.

“O ato que a província testemunhou hoje não é um pedido de independência, mas, sim, um pedido de atenção especial ao Executivo central”, afirmou.

O manifesto trazia também uma chamada de atenção aos jovens a fim de que tomem consciência de que “o futuro depende da sua coragem”.

Obras paralisadas
As questões que a juventude do Zaire pretende ver resolvidas são, entre outros, o reatar das obras paralisadas em toda a província. Os participantes estavam visivelmente descontentes com a situação difícil que se vive no Zaire e em Angola, no geral.

Ainda exigiram a construção de centralidades, um novo aeroporto e escolas, bem como a reabilitação de estradas.

Um dos cartazes levantados por uma manifestante dizia: “Ainda vão a tempo de cumprir as promessas eleitorais”. Outro cartaz dizia: “Igualdade e justiça: Zaire também merece crescer”.

Os organizadores da marcha fizeram um balanço positivo quanto à atuação da polícia no decorrer da manifestação.

FonteDW

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.