InicioEconomiaMoxico: Cooperativa Kamana Ikala prevê colher mais de mil toneladas de mandioca

Moxico: Cooperativa Kamana Ikala prevê colher mais de mil toneladas de mandioca

A Cooperativa Kamana Ikala, que beneficiou 30 milhões de kwanzas, dos 50 previstos, no âmbito do Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (PRODESI), prevê colher mais de mil toneladas de mandioca, o produto de bandeira dessa cooperativa, que tem como local de actuação a província do Moxico, precisamente no município do Luau, por sinal, o município fronteiriço com a República Democrática do Congo (RDC).

Diniz Kapapelo | Moxico

Localizada há 18 quilómetros da sede municipal do Luau, a cooperativa Kamana Ikala, com o apoio do Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (PRODESI) tem estado a dinamizar a produção de mandioca, milho e jingumba, sendo a mandioca o produto de eleição.

“Em função da falta de chuva o produto que temos a certeza que vamos colher bem é mesmo a mandioca porque resiste à falta de água”, explicou Manuel Jonas Tchinhama, Presidente da Cooperativa Kamana Ikala.

Segundo o produtor, a previsão é colher mais de mil toneladas de mandioca e outros produtos, que podem superar a produção do ano anterior em função do apoio que recebeu do Executivo angolano no âmbito do PRODESI, depois de ter ganhado o concurso na província do Moxico para receber este financiamento, onde concorreu com mais outra cooperativa.

“No ano passado produzimos cerca de 800 sacos de bombo e esse ano poderemos superar esta cifra já que, além de aumentar a produção vamos também diversificar as sementes nas próximas épocas agrícolas fruto do crédito de 30 milhões de kwanzas que beneficiamos do PRODESI”, sustentou, acrescentando que a diversificação dos produtos está inclusa a plantação de jinguba, milho, tomate, pimenta e gindungo, por sinal, produtos com bastante no Moxico e arredores.

Dificuldades de acesso
Manuel Jonas Tchinhama referiu que, em função da distância entre a sede municipal e a fazenda onde a cooperativa está implantada, que dista a cerca de 20 quilómetros da sede municipal do Luau, há toda necessidade para que o governo apoie na terraplanagem do troço que sai da estrada principal para o interior dos bairros para a fazenda.

“A par desta dificuldade das vias, que podem ser ultrapassadas em tempo seco, nos debatemos também com a falta de um tractor para conseguirmos levar a cabo, sem muito sobressalto, os nossos trabalhos aqui na cooperativa”, garantiu.

Governo local acompanha execução
Tal como acontece com os bancos e todos os projectos apoiados pelo Estado, a nível local, no município do Luau, o governo acompanha também a execução dos trabalhos por parte da cooperativa Kamana Ikala, no sentido de não desvirtuar os objectivos pelos quais o financiamento foi atribuído e para eventuais orientações para que se possa ter uma produção equilibrada e proveitosa.

De acordo com Cahilo Tchinjica, Director municipal da Agricultura, Pecuária e Pescas do Luau, duas cooperativas chegaram a concorrer para este financiamento do PRODESI, cujo vencedor foi a cooperativa Kamana Ikala, em função da desistência do outro concorrente que considerou os 50 milhões de kwanzas previstos como irrisórios.

“Luau é um município potencialmente agrícola, já que tem potencialidades hídricas para apoiar os agricultores no cultivo de cereais, tubérculos e hortícolas que podem ser distribuídas aqui no nosso município e um pouco pela província do Moxico”, concluiu.

Com uma superfície total de 65 hectares de terra, dos quais, 47 ocupados com a produção agrícola, a cooperativa Kamana Ikala foi fundada a 17 de Setembro de 2016 e existe há sensivelmente cinco anos.

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.