InicioAngolaPolíticaMilhares de cabindas no último adeus a Raúl Danda

Milhares de cabindas no último adeus a Raúl Danda

Milhares de Cabindas deslocaram-se até ao Aeroporto Maria Mambo Café, em Cabinda, para receber os restos mortais do deputado Raúl Danda, falecido sábado, em Luanda, por doença.

O mar de gente seguiu a viatura que transportava a urna com o corpo do deputado, tendo, inclusive, dificuldades de circulação.

A urna permaneceu no Pavilhão Multiuso do Tafe para as últimas homenagens, depois de ser estar no Quartel do Estado-Maior General do Exército (Ex-RI 20), em Luanda, onde estiveram presentes entre outros titulares dos órgãos de soberania, a governadora de Luanda, Joana Lina, deputados à Assembleia Nacional, membros do Executivo, do Comité Permanente da UNITA, magistrados judiciais e do Ministério Público, membros do Conselho da República, corpo diplomático, autoridades eclesiásticas e representantes dos partidos políticos com assento parlamentar, antes de ser homenageado por altas figuras do partido UNITA, no complexo Sovsmo, em Viana. O político vai hoje a enterrar no Cemitério de Malembo, em Cabinda, sua terra natal, partindo o cortejo fúnebre da residência familiar.

Biografia

Raúl Manuel Danda, nasceu aos 13 de Novembro de 1957 em Malembo, Província de Cabinda. É filho de Manuel Danda e de Maria das Dores Nhongo.

TRAJECTÓRIA ACADÉMICA:

Raúl Danda fez os estudos primários de 1963 a 1967 na Escola Primária de Malembo e o Ciclo Preparatório de 1967 a 1969 na Escola Preparatória Barão de Puna em Cabinda.

De 1969 a 1972 fez o Curso Geral de Administração na Escola Industrial e Comercial Silvino Silvério Marques em Cabinda.

De 1972 a 1974 fez o curso complementar dos Liceus, no Liceu Nacional Guilherme Capelo em Cabinda.

De 1981 à 1984 fez o bacharelato de Electrónica Industrial no Instituto Superior Técnico e Comercial em Kinshasa.
Em 2005, licenciou-se em Gestão de Empresas na Faculdade de Ciências Económicas da Universidade Lusíada de Angola.

De 2016 a 2018 foi mestrando em Ciências Políticas e Administração Pública na Faculdade de Ciências Sociais da Universidade Agostinho Neto.

EXPERIÊNCIA PROFSSIONAL:

Entre 1975 a 1977, Raúl Danda foi Professor de Matemática e de Língua Portuguesa (5a e 6a Classes) na Escola Preparatória Barão de Puna em Cabinda.

De 1979 a 1981 foi Professor de Matemática e de Inglês na Escola Secundária de Kimbianga na então República do Zaire, hoje República Democrática do Congo.

Foi de 1986 a 1992, Jornalista da VORGAN, onde assumiu a função de responsável de diferentes programas de Rádio, particularmente o serviço Internacional em Inglês e Português e o de Língua Nacional Ibinda; Foi também Chefe da Redação Central, editor e Locutor.

Em 1991 ascendeu ao cargo de Director Geral de Informação da UNITA, por ocasião do 7o Congresso Ordinário do Partido realizado na Base NKwame NKrumah.

Como músico teve passagem pelo agrupamento musical “Estamos a Voltar”, onde a sua voz e melodia ecoavam bem alto, a exemplo da música “A canção da Liberdade entoada por Savimbi”.

A partir de 1992 já em Luanda exerceu a função de Editor- chefe da Redacção Central de notícias, Locutor e repórter da Rádio Nacional de Angola até em 2008.

De 1993 à 2005 desempenhou funções de Assessor de Imprensa do Ministério da Justiça do Governo de Angola.

A partir de 1995 integrou o quadro de funcionários da Embaixada dos Estado Unidos da América em Luanda, exercendo primeiro funções de Assistente de Informação e mais tarde de Assistente para a área Económica, Tradutor e Intérprete de Português, Inglês e Francês até 2001.

De 2003 à 2008 foi chefe de serviço de traduções na TOTAL E&P Angola, Tradutor e Intérprete de Português, Inglês e Francês.

A partir de 2005 passou a leccionar na Universidade Lusíada de Angola, primeiro como estagiário, depois como titular, ministrando as cadeiras de Economia e Organização de Empresas; Planeamento e Controlo de Gestão e Investigação.

PERCURSO CÍVICO E POLÍTCO:

Raúl Danda despertou o seu activismo cívico, ingressando no MPLA como membro do Departamento de Organização Política da JMPLA de 1975 à 1977.

De 1977 à 1984 militou na Frente de Libertação do Enclave de Cabinda- FLEC.

Juntou-se à UNITA no período da resistência popular generalizada, em 1984, deixando Kinshasa com destino à Jamba, tendo participado como Militar, Jornalista e Músico na luta pela instauração em Angola do Estado Democrático e de Direito.

De 1992 à 2004, foi membro da Tendência de Reflexão Democrática, projecto político criado na sequência da saída da UNITA dos generais Miguel N’Zau Puna e Tony da Costa Fernandes, ocupando o cargo de Secretário da Informação e depois de Secretário-geral Adjunto.

Como Activista Cívico foi um defensor acérrimo dos direitos civis e políticos dos cidadãos e da causa Cabindense, tendo servido a organização cívica Mpalabanda, de que foi porta-voz de 2004 à 2008.

Foi eleito Deputado da UNITA à Assembleia Nacional de Angola, pelo Circulo Provincial de Cabinda, nas Eleições legislativas de 2008. Ocupou funções de vice-presidente da 9ª Comissão de Trabalho Especializada da Assembleia Nacional que responde pelos Direitos Humanos, Petições, Sugestões e Reclamações dos cidadãos.

Foi membro da Comissão Constitucional e ocupou igualmente a função de 1º Secretário do Grupo Parlamentar da UNITA.

Reeleito deputado em 2012 e 2017, desempenhou a função de Presidente do Grupo Parlamentar da UNITA de 2011 à 2015, sendo membro efectivo da Comissão Permanente da Assembleia Nacional, Vice-Presidente do Grupo Nacional da União Interparlamentar e Presidente da 10ª Comissão de Trabalho Especializada da Assembleia Nacional que responde pelos direitos humanos, Petições, Sugestões e Reclamações dos cidadãos.

De 2015 à 2019 desempenhou a função de Vice-Presidente da UNITA, eleito durante o XII Congresso Ordinário do Partido, acumulando com as funções de Primeiro-ministro do Governo Sombra.

Em 2019 concorreu ao cargo de Presidente do Partido no XIII Congresso Ordinário. Foi eleito membro do Comité Permanente da Comissão Política da UNITA e nomeado ao cargo de Primeiro-ministro do Governo Sombra, funções que desempenhou até a data do seu passamento físico.

Raúl Manuel Danda elevou o mais alto possível a figura do Deputado. Inspirou várias gerações no Partido e na sociedade, pela sua dedicação às causas em que acreditou. São de grata memória as suas brilhantes, contundentes e bem fundadas intervenções nos debates parlamentares e demais espaços públicos, sempre perfumadas de um provérbio em Ibinda, sua língua materna.

PREMIAÇÕES:

Raúl Danda foi distinguido com o Prémio “1996 FSN OF THE YEAR”, atribuído anualmente ao trabalhador não americano mais destacado entre as diferentes missões diplomáticas dos Estados Unidos da América no Mundo. Recebeu ainda o prémio “1999 Meritorious Award” – Distinção de mérito do Governo dos Estados Unidos da América.

POLIVALÊNCIA EM LÍNGUAS:

Raúl Manuel Danda era poliglota exprimindo-se fluentemente em 7 línguas, nomeadamente Ibinda, Lingala, Umbundu, Kikokongo, Português, Inglês e Francês.

Nos últimos anos o seu estado de saúde foi afectado por problemas cardíacos, que o levaram à consultas regulares ao Brasil e Portugal. Dadas as restrições impostas pela Covid-19, a regularidade destas consultas ficou interrompida.

Previa partir, esta semana, para consultar o seu médico no Brasil e eis que na manhã de sábado, dia 8 de Maio, uma crise de AVC Hemorrágico levou-lhe à morte, sem sequer dar hipóteses de alguma assistência médica.

O Deputado deixa 10 filhos e 7 netos.

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.