- Publicidade-
InicioAngolaSociedadeCoronel da Força Aérea assassinado a tiro por dois assaltantes em Viana

Coronel da Força Aérea assassinado a tiro por dois assaltantes em Viana

Bernardo Manfinja, de 56 anos, coronel da Força Aérea Nacional (FAN), director da Educação Patriótica, foi assassinado a tiro por dois assaltantes, no bairro Vila Flor, município de Viana, em Luanda. A autoria do crime, apurou o Novo Jornal, continua desconhecida, e os criminosos estão a monte.

Segundo fonte do Serviço de Investigação Criminal (SIC) Viana, o caso ocorreu na noite de quinta-feira, 01, por volta das 21:30, quando os suspeitos, munidos de armas de fogo do tipo AKM-47, surpreenderam a vítima, que estava na companhia de uma jovem de 22 anos, sua suposta namorada. O coronel da Força Aérea reagiu quando os assaltantes anunciaram o assalto e foi atingido por vários disparos à queima-roupa que foram fatais para o oficial das Forças Armadas Angolanas (FAA).

Os criminosos colocaram-se depois em fuga com a viatura da vítima, levando a suposta namorada, que foi vítima de violação sexual e jogada num matagal a um quilómetro do local do crime.

O alerta foi dado pelas 22:13. A vítima foi baleada no tórax, no braço e nas pernas. Para o local foram accionados os efectivos da Polícia Nacional e do SIC-Viana.

O Novo Jornal apurou ainda que foi aberto o processo-crime nº 13239/2021-VN e o SIC-Viana, coadjuvado pelo SIC-Luanda, colocou uma equipa a efectuar diligências, com vista ao esclarecimento do homicídio voluntário que culminou na morte do coronel da Força Aérea.

“O assassinato ocorreu no interior de um quintal com vedação de blocos, acção praticada por dois indivíduos desconhecidos, apeados, munidos de uma arma de fogo do tipo AKM-47 de cano cerrado, quando a vítima se encontrava no local, trajado com uniforme militar, em companhia da cidadã identificada por Maria Luís Lelo, de 22 anos, que segundo seus depoimentos, alegou ser namorada do oficial”, descreveu a fonte do SIC-Viana, acrescentando que a jovem mulher revelou em depoimento que foram até ao local da tragédia para namorar.

“Ela a (jovem) durante o seu depoimento, disse que estava a namorar com a vítima no exterior da viatura, tendo sido surpreendidos pelos meliantes que exigiram os pertencentes dos mesmos, porém, o oficial não obedeceu e um dos marginais efectuou vários disparos, tendo-o alvejado no tornozelo e na coxa, e no membro superior esquerdo, a vítima ainda tentou fugir, mas foi novamente alvejada com um disparo do tórax, perdendo a vida no local”, contou.

De acordo com o SIC-Viana, os suspeitos colocaram-se em fuga e levaram consigo a jovem Maria Lelo até ao bairro Sábado Pracinha, largo da Somague, tendo sido violada e de seguida abandonada naquele local, na via pública. Os criminosos fugiram depois, levando a viatura para parte incerta.

“Face ao sucedido, deslocou-se até ao local do crime uma equipa de especialistas do SIC-Viana, que constatou a veracidade dos factos e, após o cumprimento das formalidades legais de inspecção ao cadáver, local do crime e outras de interesse investigativo, procederam à remoção do cadáver para a morgue do Hospital Josina Machel, onde ficou depositado na câmara 9, gaveta nº 102, para ulteriores trâmites”, explicou.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.