- Publicidade-
InicioMundo LusófonoGuiné-BissauGuiné-Bissau: nova audiência de Bubo Na Tchuto, indiciado de branqueamento de capitais

Guiné-Bissau: nova audiência de Bubo Na Tchuto, indiciado de branqueamento de capitais

Bubo Na Tchuto, antigo Chefe de Estado Maior da Armada da Guiné-Bissau, continua a ser investigado pela justiça do país por alegados crimes de branqueamento de capitais e fraude fiscal, o seu advogado Marcelino Ntupé acredita que o processo será arquivado por falta de provas.

O antigo Chefe de Estado Maior da Armada guineense, contra-almirante na reserva Bubo Na Tchuto continua a ser investigado pela justiça do país por alegados crimes de branqueamento do capital e fuga aos impostos.

O advogado do militar na reserva acredita que o processo vai acabar por ser arquivado por falta de provas.

Bubo Na Tchuto tinha sido ouvido na semana passada pelo Gabinete de Delitos Económicos e Luta Contra a Corrupção do Ministério Público.

O advogado, Marcelino Ntupé não tem dúvidas em como a partir da audiência desta quinta-feira, 18 de março, o Ministério Público só tem um caminho: arquivar o processo.

“Neste momento accionamos o Ministério Público para repor os factos, que nós pensamos e o Ministério Público desconhece e esses factos vão ajudar para que o nosso constituinte seja ilibado da situação”.

Bubo Na Tchuto, de 71 anos, está a ser investigado por alegados crimes de branqueamento de capital e fuga ao fisco.

Na Tchuto, é investigado enquanto comerciante do ramo de venda a retalho de combustíveis.

Ele é investigado após denúncias anónimas por alegada falta de pagamento às Alfândegas, Contribuições e Impostos e Fundo Rodoviário.

Marcelino Ntupé indicou que os advogados de Bubo Na Tchuto apresentaram provas e documentos que vão deitar por terra todas as acusações do Ministério Público.

- Publicidade -
FonteRFI
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.