Radio Calema
InicioCovid-19Variantes sul-africana e inglesa detectadas no país

Variantes sul-africana e inglesa detectadas no país

As autoridades sanitárias angolanas anunciaram terem sido detectados casos das variantes sul-africana e inglesa em passageiros provenientes do exterior do país.

Em conferência de imprensa, no Centro Aníbal de Melo, em Luanda, a ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, disse tratar-se de sete casos da variante sul-africana, seis da estirpe inglesa e quatro de origem desconhecida.

Segundo a ministra, os dados resultam de amostras pré-desembarque recolhidas no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro em passageiros chegados ao país no período de Janeiro a Março deste ano.

Destes números, cinco envolvem passageiros provenientes de Lisboa (Portugal), um dos Camarões, três da Tanzânia, quatro de Moçambique, um do Mali e três por determinar a origem.

A ministra da Saúde sublinhou que técnicos do Instituto Nacional de Investigação em Saúde (INIS), em parceria com um laboratório sul-africano, estão a estudar as amostradas ainda não identificadas para determinar a nomenclatura do vírus.

De acordo com a ministra da Saúde, todos os casos diagnosticados com novas variantes do vírus Sars-Cov2 foram, imediatamente, postos em isolamento, na Barra do Cuanza e em unidades privadas.

Sílvia Lutucuta enalteceu o papel da Comissão Multissectorial de Prevenção e Combate à Covid-19 no controlo epidemiológico de todos os passageiros que embarcam no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro.

Sobre a campanha de vacinação, que teve início na passada terça-feira, a ministra da Saúde informou que até ontem foram vacinados seis mil profissionais de Saúde e hoje começa a vacinação de pessoas acima de 65 anos com cormobilidades.

Reportadas 22 novas infecções
Em relações à situação epidemiológica, o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, informou que, nas últimas 24 horas, Angola registou 22 novas infecções, um óbito e a recuperação de 10 pacientes.

Franco Mufinda esclareceu que das 22 novas infecções, 17 foram notificadas em Luanda, três em Cabinda e duas m Benguela. Os infectados têm idades entre 2 e 75 anos, sendo 13 do sexo masculino e nove do sexo feminino.

Na capital do país, os casos foram registados nos municípios de Belas, Talatona, Viana e no distrito urbano da Ingombota.

Relativamente à morte, Franco Mufinda informou que ocorreu na província de Benguela. Trata-se de um cidadão de 62 anos.

No que diz respeito aos pacientes recuperados, o secretário de Estado esclareceu que foram reportados nas províncias de Benguela e Luanda. Com estes dados, o país contabiliza 21.108 casos positivos, dos quais 515 óbitos, 19.657 recuperados e 936 activos.

Deste número, três estão em estado crítico a receber tratamento por ventilação mecânica invasiva, oito em situação grave, 35 são considerados moderados, 17 têm sintomas leves e 873 assintomáticos.

O secretário de Estado informou que nos centros de tratamento da Covid-19, a nível do país, estão internados 63 doentes. Em quarentena institucional estão 41 cidadãos e 1.396 sob investigação epidemiológica.

Nas últimas 24 horas, duas pessoas que estavam em quarentena institucional tiveram alta, sendo uma em Benguela e igual número no Namibe. O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) registou 37 chamadas, todas relacionadas a pedidos de informação sobre a Covid-19.

O laboratório de biologia molecular processou, ontem, 485 amostras, das quais 22 foram positivas. Desde o início da pandemia, em Março do ano passado, foram processadas 403.426 amostras, 21.108 das quais tiveram resultados positivos.

Franco Mufinda informou, também, que a equipa de saúde mental e intervenção psico-social assistiu por telefone 42 cidadãos, dando apoio psicológico.

Em relação à testagem rápida serológica nas entradas e saídas da província de Luanda, o secretário de Estado informou que, nas últimas 24 horas, foram testados 1.135 passageiros. Deste número, referiu, 48 foram reactivos.

O secretário de Estado voltou a apelar aos cidadãos para o cumprimento rigoroso das medidas de biossegurança, nomeadamente o uso correcto da máscara facial, lavagem frequente das mãos com água e sabão ou higienizá-las com álcool em gel e a observância do distanciamento físico.

FonteJA

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.