- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo Lusófono Guiné-Bissau Bissau: Governo admite saída do país de Aristides Gomes mediante despacho da...

Bissau: Governo admite saída do país de Aristides Gomes mediante despacho da PGR

O Ministério dos Negócios Estrangeiros da Guiné-Bissau afirmou, quinta-feira (11.02), que o antigo primeiro-ministro deverá deslocar-se ao estrangeiro, por razões de saúde.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros da Guiné-Bissau admitiu, esta quinta-feira (11.02), que o antigo primeiro-ministro, Aristides Gomes, refugiado na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Bissau, poderá sair do país assim que tiver um despacho nesse sentido do procurador-geral da República.

Em comunicado, a que a Lusa teve acesso, o ministério liderado por Suzi Barbosa afirmou que Aristides Gomes, “que por livre vontade, se encontrava albergado” nas instalações da Organização das Nações Unidas, deverá deslocar-se ao estrangeiro, por razões de saúde.

Poucos dias depois de o atual Presidente guineense, Umaro Sissoco Embaló, ter assumido o poder, Aristides Gomes, cujo Governo foi demitido pelo novo chefe de Estado, refugiou-se na sede da ONU, invocando razões de segurança.

Em outubro, gerou-se uma polémica na Guiné-Bissau à volta do ex-primeiro-ministro, com o procurador-geral da República, Fernando Gomes, a anunciar a existência de dois processos-crime contra Aristides Gomes e o presidente do Tribunal da Relação, Tidjane a Djaló, a afirmar que desconhecia quaisquer processos contra o político.

O comunicado do Ministério dos Negócios Estrangeiros realça o facto de a saída de Aristides Gomes do país ter sido possível na sequência de contactos diplomáticos, “sob a égide e magistratura de influência” do Presidente da Guiné-Bissau.

Dos contactos, “foram criadas as condições diplomáticas para um acordo” entre a representação das Nações Unidas em Bissau e o Ministério Público, mas dentro do espírito de separação de poderes e interdependência dos órgãos de soberania, referiu o comunicado.

- Publicidade -
FonteDW/Lusa
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.