- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Covid-19 Covid-19: Portugal prolonga estado de emergência

Covid-19: Portugal prolonga estado de emergência

Perante o agravamento da pandemia em Portugal, depois de receber a luz verde do Parlamento, o Presidente da República decretou ontem o prolongamento do estado de emergência até 14 de Fevereiro, no intuito de continuar e até aprofundar as medidas de contenção da covid-19 em vigor desde o passado dia 15 de Janeiro.

“Se for verdade que, desta vez, a vaga começou a Ocidente e Portugal é dos primeiros e não dos últimos a sofrer a pandemia, então é preciso agir depressa e drasticamente”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, ontem no final do dia numa declaração ao país durante a qual anunciou ter decretado a prorrogação do estado de emergência pelo menos até ao dia 14 de Fevereiro, o governo tendo desde já antecipado um período de confinamento longo.

Com um total de mais de 11 mil mortos desde o registo dos primeiros casos no ano passado no seu território, Portugal transpôs ontem pela primeira vez o patamar simbólico dos 300 óbitos em apenas 24 horas, sendo que o país registou até agora mais de 685 mil casos de infecção.

«O número de óbitos é dramático», reconheceu o Primeiro-ministro António Costa ao sublinhar que Portugal apresenta um dos panoramas mais graves da Europa. Na realidade, nos últimos dias, Portugal ascendeu à triste dianteira dos países com maior taxa de mortalidade per capita devido ao coronavírus a nível mundial.

Perante esta situação, Marcelo Rebelo e Sousa lançou ontem um apelo ao país: “Temos de ser mais estritos, mais rigorosos, mais firmes no que fizermos e no que não fizermos: ficar em casa, sair só se imprescindível e com total protecção pessoal e social. Só assim será efectivamente viável testar a tempo e rastrear os possíveis infectados, diminuindo a disseminação do vírus”.

Neste sentido, durante o novo período de estado de emergência que entra em vigor na noite de Sábado para Domingo, à meia-noite, mantém-se o actual dispositivo de restrições, a regra sendo o confinamento e a proibição de circulação entre concelhos durante o fim-de-semana.

Neste quadro, são apenas permitidas as saídas para a compra de bens e serviços essenciais, o desempenho de actividades profissionais, na impossibilidade de optar pelo teletrabalho, ou ainda a pratica desportiva ao ar livre.

Os comércios não essenciais mantêm-se encerrados e os restantes podem funcionar mas com horários restritos, sendo que os restaurantes apenas podem oferecer serviços de ‘take-away’. Únicas excepções neste quadro, os serviços de saúde, consultórios ou farmácias.

Acresce a este dispositivo, a continuação do encerramento das escolas e a instauração de aulas à distância a partir do dia 8 de Fevereiro, bem como o restabelecimento do controlo nas fronteiras terrestres nos próximos 15 dias assim como a limitação das deslocações para fora do território, salvo raras excepções.

O executivo português decidiu ainda um acréscimo salarial a favor dos médicos e enfermeiros que viram o seu volume horário de trabalho aumentar, sendo que é igualmente encarada a contratação de 160 médicos suplementares e a transferência de alguns doentes com covid-19 para o estrangeiro no intuito de fazer face à forte pressão sofrida pelo sistema de saúde português nas últimas semanas.

Com efeito, têm sido recorrentes neste dias as filas de ambulâncias que aguardam atendimento durante horas diante dos hospitais. Na noite da passada Terça-feira, o sistema de alimentação em oxigénio do hospital Amadora-Sintra, um dos maiores a nível nacional, entrou em colapso, levando à transferência urgente de uma centena de pacientes para outras unidades hospitalares.

- Publicidade -
FonteRFI
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.