- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Desporto Andebol Mundial/Andebol: Selecção Nacional obrigada a bater Congo Democrático

Mundial/Andebol: Selecção Nacional obrigada a bater Congo Democrático

As selecções de Angola e da República Democrática do Congo defrontam-se esta quinta-feira, às 17h00, no Arena Hassan Moustafa Sports Hall, em Giza, para a primeira jornada do Grupo A da Taça Presidente do Campeonato do Mundo Sénior Masculino de Andebol, que decorre no Egipto.

Com a desistência de Cabo Verde, em consequência do surto da Covid-19 que assolou a formação do arquipélago, o agrupamento fica reduzido a três selecções, sendo a Tunísia a terceira integrante da série, formada apenas por equipas africanas.

Participam no torneio instituído pela Federação Internacional de Andebol, os últimos classificados dos oito grupos da fase preliminar, para a disputa das classificativas do 25º ao 32º lugar da competição.

Depois dos resultados menos conseguidos na primeira fase do torneio, Angola e Congo Democrático esperam corrigir o que esteve mal naquela etapa do Campeonato do Mundo, bem como têm a oportunidade de realizar uma excelente campanha.

Atendendo à ambição dos contendores, Angola e RDC disputam um jogo de elevado grau de dificuldade, visto que ambos perseguem à primeira vitória nesta edição do mundial. Vai ser, seguramente, uma partida de ataques de nervos e de contactos físicos do princípio ao fim. Seja qual for a modalidade, angolanos e congoleses sempre que se defrontam há uma grande rivalidade, o que torna os duelos muito renhidos.

No Campeonato Africano das Nações (CAN), disputado em Janeiro do ano passado na Tunísia, Os Guerreiros derrotaram os Leopardos, por 30-25. O técnico José Pereira “Kidó” espera apresentar uma equipa ousada e determinada a vencer o desafio, depois do fracasso na fase de grupos.

No concernente a estatura física e massa muscular, os congoleses democratas superam os angolanos neste aspecto, o que pode criar sérias dificuldades, mas é também um factor que pode ser aproveitado na estratégia doo seleccionador nacional, aproveitando a menor estatura para mortíferos contra-ataques.

A Selecção Nacional precisa de ser eficaz e concretizar os ataques planeados, o que seguramente, abrirá caminha para o triunfo. No seio dos jogadores e corpo técnico, a convicção é forte e todos estão unidos à volta do grande objectivo: vencer a RDC e o jogo a seguir com a Tunísia, a realizar-se a 25 do corrente, para a segunda jornada.

Dos três disputados na fase regular do Grupo C, os comandados de Kidó perderam igual número diante do Qatar (25-30), Croácia (20-28) e Japão (29-30). Marcaram 74 golos e consentiram 88. Por sua vez, o Congo Democrático, integrante do Grupo D, também não ganhou qualquer jogo, ao perder com a Argentina (22-28), Dinamarca (19-39) e Bahrein (27-34). Apontou 68 golos e sofreu 101.

O grupo II da Taça Presidente é constituído pelas selecções da Áustria, Chile, Marrocos e Coreia do Sul. Hoje estão agendados os jogos Áustria – Marrocos (19h00) e Chile – Coreia do Sul (21h30).

Kidó antevê dificuldades frente à RDC

O técnico José Pereira “Kidó” prevê um jogo difícil diante da República Democrática do Congo (RDC), sem colocar de parte o desejo de vitória, depois de três derrotas seguidas na fase preliminar da prova mundial.

Em conversa com o Jornal de Angola, o Seleccionador angolano garante que vai apostar todas as fichas, para que o primeiro triunfo sorria para a Selecção Nacional.

“Andámos à procura da primeira vitória. A equipa vem de desaires seguidos com o Qatar, Croácia e Japão. Não nos passa pela cabeça perder o encontro. Pode ser que a vitória apareça diante do Congo Democrático. Trabalhámos o grupo com esta finalidade”, disse o também técnico da formação da Polícia Nacional.

Em relação ao adversário, o timoneiro dos Guerreiros adiantou que “dispõe de poucas informações sobre o Congo Democrático. Sei que tem uma selecção bem dotada do ponto de vista físico. Está ferida, tal como nós, porque não ganhou qualquer partida. Estamos diante de um jogo complicado. Mas, faremos de tudo, para que a primeira vitória aconteça”, admitiu.

Manolo Cadenas, treinador do Congo Democrático, reconheceu que não espera facilidades diante da Selecção Nacional, sublinhando que vai ser um jogo intenso do primeiro ao último minuto. “Angola vai procurar dificultar ao máximo os nossos propósitos, porquanto não venceu qualquer partida, tal como nós.

Sabemos de que não será um jogo fácil. Mas, tenho a plena certeza de que iremos conseguir um resultado positivo frente ao combinado angolano”, garantiu o Seleccionador Nacional da RDC.

- Publicidade -
FonteJA
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.