- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Covid-19 França garante intensificar vacinação contra a Covid-19

França garante intensificar vacinação contra a Covid-19

O governo francês prometeu nesta terça, 4 de Janeiro, “amplificar, acelerar e simplificar” a sua campanha de vacinação contra a Covid-19. Paris vai arrancar com a campanha para os mais de 75 anos, para além das Unidades de cuidados continuados antes do fim do mês e garante que os que se querem vacinar poder-se-ão inscrever para o efeito.

O ministro francês da saúde, Olivier Véran, afirmou à rádio privada RTL que o ritmo de vacinação do país atingiria, dentro de dias, o dos vizinhos.

Segundo ele “ultrapassámos nesta segunda-feira as 2 000 vacinações (…) estaremos num aumento exponencial”.

O certo é que o número em França de pessoas já vacinadas está muito aquém ao de outros grandes países como a Alemanha ou o Reino Unido (embora este tenha conhecido muito mais cedo, a 8 de Dezembro, enquanto a União Europeia só arrancou a 27 do mesmo mês).

“Pedi aos hospitais que estão equipados com vacinas, e até ontem eram 27, passarão até amanhã à tarde a ser 100… pedi a cada um dentre eles para implementar um centro de vacinação para a população.

Antes de mais para os profissionais de saúde, para os técnicos de apoio a domicílio, os bombeiros.

Na próxima semana serão 300 centros a ser implementados.

E daqui até ao final do mês de Janeiro haverá entre 500 e 600 centros abertos e acessíveis à população em geral.

Pretendo fazê-lo neste timing porque antes do final do mês autorizaremos a vacinação das pessoas a partir de 75 anos.

Pessoas que estão em suas casas e não em centros especializados, no caso 5 milhões de pessoas.

Obviamente isso levará o seu tempo, não em termos de organização, mas para ter doses suficientes para responder a toda a procura, será um processo progressivo, levará várias semanas, talvez mesmo meses.

Queremos que isto seja visível e legível para todas as pessoas que se dizem:

“Quero ser vacinado, tenho 80 anos, sinto-me vulnerável, quando é que o poderei fazer?”

Estes anúncios não fizeram calar as críticas. “Porquê que não vacinamos de forma mais simples ? Como os israelitas, os ingleses ou os alemães ?” pediram numa tribuna no diário “Le Parisien” cerca de trinta médicos, incluindo a especialista em infecciologia Karine Lacombe.

Estes pediram, nomeadamente, “um acesso à vacinação generalizada a todo o pessoal de saúde voluntário e a todas as pessoas de mais de 65 anos, e em seguida rapidamente ao conjunto da população em todo o território francês, no seio de centros de vacinação”.

A França recebe de momento “500 000 doses por semana” da primeira vacina autorizada na Europa, a dos laboratórios Pfizer/BioNTech, e o governo prevê receber 500 000 doses por mês da vacina do laboratório Moderna.

Esta última poderia vir a receber sinal verde na quarta-feira da Agência europeia do medicamento.

Daqui até quarta-feira “teremos acumulado ao todo um milhão de doses” disponíveis, acrescentou Véran.

Facto que suscitou ainda mais interrogações, caso de Xavier Bertrand, presidente da província nortenha Hauts de France no diário Le Parisien.

“Se 500 000 doses foram devidamente entregues porque é que na segunda de manhã só 516 pessoas tinham sido vacinadas?”

Véran desmentiu ainda serem necessários cinco dias entre uma consulta prévia e a efectivação da vacinação.

- Publicidade -
FonteRFI
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.