- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo Lusófono Brasil Bolsonaro posta vídeo que prega uso de remédios não eficazes contra a...

Bolsonaro posta vídeo que prega uso de remédios não eficazes contra a Covid-19 e diz que vacina “está a caminho”

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) postou, na manhã desta segunda-feira (4), um vídeo em suas redes sociais defendendo a utilização de remédios não comprovadamente eficazes contra o novo coronavírus.

Na postagem, Bolsonaro pregou que o tratamento precoce da Covid-19 “salva vidas” e ainda destacou que a “vacina emergencial e não obrigatória está a caminho”.

– O tratamento precoce salva vidas.

– A vacina emergencial (depois de certificada pela @anvisa_oficial ), e não obrigatória, está a caminho.

. Link no YouTube: https://t.co/vh7YxKBKfI

— Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) January 4, 2021

No vídeo, o médico Anthony Wong aparece em uma entrevista ao programa “Direto ao Ponto”, da Jovem Pan, na qual defende o uso de diversos medicamentos contra a Covid-19 como hidroxicloroquina, cloroquina, ivermectina e azitromicina.

O médico, que é pediatra e toxicologista da Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), é questionado sobre os motivos então da OMS (Organização Mundial de Saúde) não defender o tratamento precoce contra a Covid-19.

“Não sei. Isso é muito difícil. Tem muito dinheiro envolvido”, responde ele.

Em outubro deste ano, a OMS publicou um estudo que confirma a ineficácia dos remédios remdesivir e cloroquina/hidroxicloroquina para o tratamento do novo coronavírus. O estudo foi conduzido em 405 hospitais em 30 países diferentes e envolveu um total de 11.266 adultos.

“Os resultados preliminares do Solidarity Therapeutics Trial, coordenado pela OMS, indicam que o remdesivir, que a hidroxicloroquina, a combinação lopinavir/ritonavir e os tratamentos à base de interferon parecem ter um pequeno ou inexistente efeito sobre a mortalidade em 28 dias ou no percurso hospitalar do Covid-19 entre os pacientes recuperados”, informa o documento.

VACINA “A CAMINHO”, DIZ BOLSONARO
O presidente também ressaltou que a “vacina emergencial” será “não obrigatória” e só ficará disponível após aprovação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

No fim de dezembro, a Anvisa afirmou que a Fiocruz deverá pedir o uso emergencial da vacina da Astrazeneca. O instituto brasileiro tem parceria com o laboratório britânico no desenvolvimento do imunizante.

Em comunicado, a Anvisa informou que a empresa não identificou dificuldades para atender os requisitos da agência reguladora. No entanto, a nota não fala sobre qualquer prazo para apresentação do pedido.

O prazo para análise da Anvisa é de 10 dias, a partir da entrada do pedido.

A previsão do ministério da Saúde é que a vacinação no Brasil comece em fevereiro. Entre 8 e 12 de fevereiro, o governo federal espera receber o primeiro lota com um milhão de doses do imunizante da Astrazeneca.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.