- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Economia Banca concede 479,4 mil milhões de kwanzas no âmbito do PRODESI

Banca concede 479,4 mil milhões de kwanzas no âmbito do PRODESI

Os bancos aprovaram mais 3,46 mil milhões de kwanzas, dos 476 mil milhões de kwanzas anunciados esta semana, no âmbito do Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (PRODESI), perfazendo até ao momento, 479,4 mil milhões, verbas aprovadas até à terça-feira última.

Segundo o balanço apresentado ontem pelo Ministério da Economia e Planeamento, foram submetidos aos 24 bancos 1.250 candidaturas, resultando em 239 processos ainda em negociação e 661 processos já aprovados. O Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA) aprovou mais projectos em relação aos demais com 454, o Banco Angolano de Investimentos (BAI) com 33, o Banco BIC com 24, Banco de Fomento Angola (BFA) com 11 e o Banco Millenium Atlântico (BMA) com 10.

O rácio de projectos aprovados é de 52,88 por cento, ou seja, 5 em cada 10 projectos submetidos são aprovados. O BDA foi a que mais projectos recepcionou, num total de 648, o BAI com 152, Banco Millenium Atlântico BMA com 75 e o Banco BIC com 68 projectos.

O banco da China Limitada – Sucursal em Luanda – BOCLB, o Standard Chartered Bank em Angola e o Banco VTB África são os que receberam somente uma proposta, quer em termos de submissão, quer em termos de aprovação.  A Agricultura lidera em projectos por sectores aprovados com 304, a seguir vem o Comércio e Distribuição com 180 projectos e 71 da indústria transformadora. No relatório aparecerem com menos projectos aprovados a pesca continental com 5, aquicultura com 15 e pesca marítima com 21 projectos.

Quanto às províncias, Luanda comanda com 147 e depois Huambo com 57, Benguela com 54, Cuanza Sul com 46 e Huíla com 43. As regiões da Lunda-Norte e Namibe são as que menos possuem projectos aprovados, cada com 11.   Balanço anterior

Até segunda-feira, o Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (PRODESI) aprovou 661 projectos e mobilizou junto da banca créditos de 476 mil milhões de kwanzas. Os projectos aprovados aumentaram em 727 mil milhões de kwanzas o volume de negócios das empresas, que deverão criar 54.241 empregos.

Com a execução do PRODESI as importações, que rondavam 2,5 mil milhões de dólares em 2018, baixaram para 2 mil milhões em 2019 e em 2020 estão estimadas em 1,4 mil milhões.  De 2018 a 2020, o país poupou 1,1 mil milhões de dólares e estão em negociações avançadas mais 191 projectos, o que perfaz 567 de um total de 1.199 pedidos submetidos à banca nacional.

Num ano difícil para o sector económico nacional e internacional, devido, sobretudo, à pandemia da Covid-19, que paralisou o mundo, o desenvolvimento das cinco fases do PRODESI decorreu positivamente graças ao total empenho da banca nacional, de acordo com o ministro da Economia e Planeamento, Sérgio dos Santos.

A banca disponibilizou linhas de financiamento, através do Aviso 10/20 do Banco Nacional de Angola (301,2 mil milhões de kwanzas), o Deutsche Bank (99,2 mil milhões) e o Projecto de Apoio ao Crédito (35,1 mil milhões). Houve ainda a mobilização de outras estratégias como as de Compra de insumos agrícolas e pescas; Compras de bens de consumo de origem nacional; Cooperativas do sector produtivo e os outros instrumentos de crédito, totalizando estes 39,8 mil milhões de kwanzas.

De acordo com o ministro Sérgio Santos, tendo em conta os 54 produtos do PRODESI, em 2018, as importações rondavam em 2,5 mil milhões de dólares. Baixaram, em 2019, em 2,0 mil milhões de dólares e, actualmente, estimativas estão em 1,4 mil milhões de dólares. O resultado promissor ainda assim é tido como insuficiente face à existência ainda de muitos produtos a serem importados sem razão justificável.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.