- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Angola Sociedade Centro Integrado de Segurança bloqueia 300 números telefónicos

Centro Integrado de Segurança bloqueia 300 números telefónicos

Cerca de 300 terminais telefónicos foram bloqueados, este ano, pelo Centro Integrado de Segurança Pública (CISP), por efectuarem chamadas e desnecessárias para o número de emergência 111, informou, nesta terça-feira, o coordenador do projecto, comissário Carlos Albino.

Os números bloqueados não podem efectuar chamadas para o CISP, mesmo em situação de necessidade. O comissário, que deu estas informações à imprensa, após o acto que marcou o primeiro aniversário do CISP Luanda, afirmou que as acções continuarão para “consciencializar os cidadãos para a importância da gestão colectiva de um bem que a todos pertence.

Segundo Carlos Albino, o sistema permite impedir que os transgressores possam aceder ao centro, e que, desde Outubro, começaram as restrições de chamadas ao CISP dos que fazem mau uso deste sistema. “Por via da reincidência tivemos de adoptar estas medidas”, referiu.

O coordenador do projecto CISP referiu que os desafios que se colocam neste momento ao Centro Integrado de Segurança Pública, têm a ver com o capital humano e a extensão do sistema, pois o projecto foi concebido para todo território nacional. “O projecto no ponto de vista de engenharia está concebido para ser concluído no final de 2021, mas dependerá das condições financeiras e técnica”, disse.

O comissário Carlos Albino considerou importante a certificação do CISP, uma vez que, por esta via, o Estado angolano poderá obter recursos bonificados das organizações internacionais, visto que a actualização deste sistema requer disponibilidade de recursos permanentes.

O responsável adiantou que “o mesmo vai permitir a partilha de conhecimentos e informações para melhor eficiência dos trabalhos desenvolvidos, tendo em conta os métodos internacionais aplicáveis”.

Missão do CISP

O Centro Integrado de Segurança Pública, inaugurado a 30 de Dezembro de 2019, surgiu para prestar apoio aos demais órgãos e serviços de defesa e segurança, melhorar a segurança e preservação do património público e privado, assim como tornar cada vez mais eficiente o apoio aos órgãos de investigação.

Com 411 câmaras em funcionamento em Luanda, o CISP tem como missões, entre outras, o auxílio na vigilância e prevenção de vários actos que possam colocar em causa a segurança pública, permitindo a identificação de eventuais suspeitos, através de câmaras de reconhecimento facial, e monitorização de movimento de aglomerados em locais de alta concentração pública, bem como a localização e identificação mediante georeferenciação das solicitações de pedidos de socorro dos cidadãos.

O CISP permite, também, supervisionar infra-estruturas críticas, como barragens, aeroportos e outros empreendimentos económicos estratégicos, através dos sistemas de telemetria, rastreio da identificação de veículos e controlo do tráfego rodoviário, assim como a reacção coordenada das forças de segurança em apoio aos sinistros ou calamidades naturais, por intermédio do sistema de comunicação integrada. Além de Luanda, o CISP está, também, em Benguela.

- Publicidade -
FonteJA
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.