- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Covid-19 Desigualdade. Em Israel, nenhuma vacina contra Covid-19 para prisioneiros palestinos

Desigualdade. Em Israel, nenhuma vacina contra Covid-19 para prisioneiros palestinos

O ministro da Segurança Pública israelense, Amir Ohana, pediu à administração penitenciária do país que não vacinasse os prisioneiros palestinos. Uma decisão em contradição com as palavras do Ministério da Saúde, que declarou querer dar prioridade aos reclusos no acesso à vacina, sublinha o diário Ha’Aretz .

Em Israel, a vacinação começou em 19 de dezembro . Depois de ter vacinado pessoas em risco e prioritariamente o pessoal de saúde, o país passou a focar em indivíduos em cargos expostos (professores, assistentes sociais, militares), bem como em funcionários penitenciários e todos os reclusos. Todos, exceto os palestinos.

De fato, no sábado, 26 de dezembro, o ministro israelense de Segurança Pública, Amir Ohana, pediu à administração penitenciária do país que esperasse antes de administrar a vacina a prisioneiros palestinos, como esclareceu o jornal israelense de centro-esquerda.  Ha’Aretz . O diário sublinha que não está claro “sob que autoridade Ohana pode ordenar aos serviços prisionais que vacinem alguns reclusos e outros não” .

Ao reverter a decisão do Ministério da Saúde Pública de dar acesso prioritário à vacina a todos os presos, Amir Ohana atraiu a ira de certas ONGs , como a Adalah, uma organização de direitos humanos especializada em representação da minoria árabe em Israel. Principalmente porque o país é líder mundial em vacinação: cerca de 300 mil pessoas, de seus 9 milhões de habitantes, já foram vacinadas.

De acordo com dados do Clube de Prisioneiros Palestinos – uma associação que defende seus direitos – cerca de 5.000 homens e mulheres palestinos estão presos em prisões israelenses. E entre eles, 140 já contrataram a Covid-19 desde o início da pandemia, segundo dados da agência de notícias palestina Wafa.

 

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.