Tudo começou com uma disputa de terras entre duas grandes tribos no sul da Tunísia. Foi finalmente em um banho de sangue que as coisas terminaram, domingo, 13 de dezembro. Na fronteira entre as regiões de Medenine e Kebili, duas tribos se enfrentaram por horas com armas brancas e rifles de caça pelo controle de uma terra. Duas pessoas morreram lá, anunciou a rádio privada Mosaique FM,  e mais de 50 ficaram feridos.

A tensão era tanta na região que foi imposto toque de recolher, enviaram reforços de forças policiais e que o presidente tunisino, Kais Saied, foi na segunda-feira ao local. “Somos um só país e um só estado. Os tunisinos não se devem matar ”, lançou o Chefe de Estado aos cidadãos que vieram ouvi-lo, antes de acrescentar que“ se a situação exige a intervenção das forças militares e de segurança, não o fazemos não hesitará. Não vamos deixar a situação como está ” relata o site independente Notícias de Negócios .