- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Economia Crédito avaliado em 272,7milhões

Crédito avaliado em 272,7milhões

O crédito registado no âmbito do Programa de Reconversão da Economia Informal está, até ao momento, avaliado em 272,7 milhões de kwanzas, segundo dados avançados ontem, em Luanda, pelo secretário de Estado para a Economia

Mário Caetano João disse que desde o início da linha de financiamento às Medidas do Alívio Económico foram registados 1.438 pedidos, num valor aproximado de 2.345 milhões kwanzas. Há mais 114 pedidos de crédito do que na semana passada.

No habitual briefing com a imprensa, Mário Caetano João adiantou o número de 36 candidatos, efectivamente financiados, na última semana, de seis sectores de actividade. O valor do desembolso foi de 130,8 milhões de kwanzas, distribuídos a Logística e Distribuição de Produtos Agro-alimentares e Pescas (42,25 milhões), Produtos e Serviços da cadeia do Agro negócio (38,76 milhões), Desenvolvimento de softwares (22,3 milhões), Processamento Alimentar (19,95 milhões), Produção cultural e artística (5 milhões) e Reciclagem de resíduos sólidos urbanos (2,5 milhões).

Registo de contratos
A plataforma electrónica dos contratos de compra futura, conta actualmente com 1075 contratos, mais 212 que na semana transacta.

A meta estabelecida até finais de 2020 , desde a operacionalização do ” Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (PRODESI), é de mil contratos previstos, mas, tendo em conta a dinâmica do sector a meta foi alcançada e superada para 1075 contratos.

Os acordos registados na plataforma estão distribuídos na Direcção Nacional do Comércio Externo, que representa um total de 532 contratos e em outros vários departamentos, designadamente Bens de Consumo de Origem Nacional (na abreviatura OCD) financiados pelo BDA (288), OCD não financiados pelo BDA (154), Direcção Nacional da Agricultura e Pecuária (43) e Direcção Nacional da Indústria (58).

Decorre o processo de inserção dos contratos registados na plataforma electrónica dos contratos de compra futura ao nível das Direcções Nacionais do Comércio Externo, Indústria, Agricultura, Pescas, Serviços Veterinários e os GPDEI das 18 províncias.

Um aspecto positivo, tendo em conta a dinâmica de aprovação dos contratos, é o fácil acesso ao licenciamento das importações e a racionalização das importações, segundo destacou o secretário de Estado.

Este procedimento está a fazer com que haja uma dinâmica no processo de contratos de compra futura.

“Estes contratos referem-se aos acordos entre os produtores e operadores de comércio e distribuição, importadores, superfícies comerciais. O novo paradigma de agricultura por contrato vai revolucionar a cadeia de valor do agro negócio e servirá de catalisador na concessão de crédito e subsequente crescimento económico sustentável”, vaticinou.

214 projectos estão por aprovar na banca
Ainda no âmbito do Apoio no Acesso ao Crédito encontram-se na banca 214 projectos por aprovar nas várias áreas de produção.

Nos projectos por aprovar destaca-se o sector da agricultura com 113 projectos, seguido do comércio 34, indústria 21, pecuária 14, pesca marítima 10, aquicultura quatro, indústria transformadora e pesca continental, com três (3) e outros sectores diversos com 15 projectos.

Relativamente à linha de financiamento das cooperativas, importa referir que após o envio dos dossiers de crédito das 180 cooperativas, esta semana serão finalizados mais 26 processos de cooperativas a serem remetidos ao BDA.

Dos projectos das cooperativas já remetidos ao BDA, na semana em análise, 12 foram aprovados. O total de cooperativas que viram seus projectos aprovados até à data é de 146, num valor de 3,6 mil milhões.

O secretário de Estado para a Economia, Mário Caetano João, informou, por outro lado, que o stock de financiamento desde o início da operacionalização da linha situa-se em 831 milhões.

Com a presente linha de financiamento foram já formalizadas 114 micro e pequenas empresas, o que corresponde a quase 25 por cento da meta prevista no Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN 2017-2022), que determina a formalização anual de 500 micro e pequenas empresas e cooperativas.

- Publicidade -
FonteJA |
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.