- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Angola Política Uíge: Activistas presos quando realizavam uma vigília

Uíge: Activistas presos quando realizavam uma vigília

Dois foram libertados e três continuam detidos

A Polícia Nacional (PN) de Angola deteve no sábado, 29, cinco membros do projecto político CRENTES-PJ, liderado pelo rapper Brigadeiro 10 Pacotes, no Uíge, quando tentavam realizar uma vigília de oração a favor do seu líder que se encontra hospitalizado em Luanda, segundo a própria organização.

Dois dos activistas foram libertados momentos depois, mas três continuam presos e vão ser apresentados à justiça.

Um dos participantes ficou ferido.

O coordenador provincial da comissão Instaladora dos CRENTES-PJ no Uíge, Salvador dos Santos Vovito, que organizou a vigília, disse à VOA que no momento em que deram início à vigília, “o comandante adjunto municipal ordenou que os agentes fizessem o que entendessem”.

“Começaram a nos espancar e a nos dispersar, logo apareceram dois patrulheiros, prenderam cinco membros dos quais, dois foram soltos e três encontram-se detidos e um dos nossos membros foi ferido”, contou Salvador dos Santos.

Emelson Miguel, um dos participantes que também foi detido, disse que “foram necessárias muitas horas de negociação” até serem libertados pela PN.

O secretário-geral do projecto político dos CRENTES-PJ, Inocêncio Dikuiza, que encabeçou a vigília, considerou “débil a preservação dos direitos humanos em Angola” e disse não terem efeito as conclusões saídas do recente encontro que o Presidente da República manteve com os líderes de organizações juvenis, quanto à liberdade dos direitos a manifestação e de reunião no país.

O activista cívico Ernesto Pedro condenou a atitude da polícia e do Governo local pela repressão da vigília “por ter sido um acto de solidariedade”.

A PN não se pronunciou.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.