- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Destaques Angola quer contribuir para a erradicação de grupos armados

Angola quer contribuir para a erradicação de grupos armados

Angola está disposta a trabalhar, em conjunto com os Estados-membros da Conferência Internacional sobre a Região dos Grandes Lagos (CIRGL), na erradicação dos grupos armados naquela zona e fazer respeitar os acordos de paz concluídos na região.

O país assumiu, esta sexta-feira, pela segunda vez, a presidência da CIRGL para os próximos dois anos, durante a 8ª Cimeira ordinária dos Chefes de Estado e de Governo da organização.

Ao discursar, no final da cimeira, realizada por videoconferência, na qualidade de presidente da CIRGL, o Chefe de Estado angolano adiantou que outras metas da presidência angolana, nesta segunda vez à frente dos destinos da organização, vão passar por desenvolver acções que visem o levantamento das sanções impostas ao Burundi, o embargo de armas à República Centro Africana, bem como o combate ao inimigo comum, a Covid-19.

No entender de João Lourenço, a resposta colectiva a estes desafios passa pela tomada de acções concretas para a materialização do tema escolhido para a cimeira de ontem: “Favorecer a implementação do pacto sobre a segurança, estabilidade e desenvolvimento na Região dos Grandes Lagos, fortalecendo a cooperação económica regional e o desenvolvimento”.

O país assumiu, esta sexta-feira, pela segunda vez, a presidência da CIRGL para os próximos dois anos, durante a 8ª Cimeira ordinária dos Chefes de Estado e de Governo da organização.
(DR)

“Pensamos, igualmente, que a implementação cabal do pacto dependerá dos meios que colocarmos à disposição do Secretariado Geral da CIRGL, pelo que a vontade política de todos constituirá o factor determinante”, frisou.

A Cimeira constituiu uma nova troika, composta pelo Sudão, Angola e Congo. João Lourenço garantiu que o nosso país está disposto a fazer dela um colectivo de apoio a todos os Estados- membros. Felicitou o Chefe de Estado congolês e presidente cessante da CIRGL, Denis Sassou N´guesso, por “ter liderado a organização de forma exemplar”.

“Saúdo os passos positivos que se verificam na melhoria das relações entre o Uganda e o Rwanda, bem como os esforços que estão a ser feitos para a normalização das relações entre o Burundi e o Rwanda”, realçou.

As felicitações de João Lourenço foram extensivas, também, ao secretário executivo cessante e ao novo secretário executivo, a quem desejou sucessos nas funções. Saudou, ainda, John Magufuli, pela reeleição ao cargo de Presidente da Tanzânia, e Evariste Ndayaishimiye, pela eleição como Chefe de Estado do Burundi.

Segundo João Lourenço, Angola assume a presidência da CIRGL numa altura em que a região se encontra confrontada com inúmeros desafios, incluindo a pandemia da Covid-19 e instabilidade provocadas por conflitos, além da luta para o desenvolvimento económico e social.

A Cimeira foi assistida pelo Secretário-Geral da ONU, António Guterres, e pelo presidente da Comissão da União Africana, Moussa Faki Mahamat.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.