- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo Lusófono Moçambique Moçambique: "Se o Governo tivesse inteligência, já tinha acabado com a guerra"

Moçambique: “Se o Governo tivesse inteligência, já tinha acabado com a guerra”

O Movimento Democrático de Moçambique acusa o Governo de egoísmo e falta estratégia na procura de soluções para o terrorismo em Cabo Delgado. Partido adverte para a necessidade de capacitar militares na resposta à crise.

Sande Carmona, porta-voz do Movimento Democrático de Moçambique (MDM), considera que não há uma estratégia política nem militar em Moçambique para lidar com os ataques terroristas no norte do país.

A violência armada em Cabo Delgado está a provocar uma crise humanitária com cerca de duas mil mortes e 500 mil pessoas deslocadas, sem habitação, nem alimentos, concentrando-se sobretudo na capital provincial, Pemba.

Em entrevista à DW África, Sande Carmona diz que o Governo falhou ao não ter optado pelo diálogo com os cabecilhas dos ataques logo no início do conflito.

A violência armada em Cabo Delgado está a provocar uma crise humanitária com cerca de duas mil mortes e 500 mil pessoas deslocadas.
(DR)

DW África: Como é que o MDM avalia a atuação do Governo moçambicano em relação ao conflito em Cabo Delgado?

Sande Carmona (SC): Lamentamos a falta de inteligência por parte do Governo para pôr fim a esta situação que já tirou a vida de centenas de moçambicanos e [provocou] milhares de refugiados.

DW África: O que quer dizer com falta de inteligência?

SC: Quando um povo elege um Governo, está a eleger soluções. Não está a eleger indivíduos para se sentarem na cadeira e começarem a lamentar, como faz o povo. Isso chama-se falta de inteligência, porque se o Governo tivesse inteligência já tinha acabado com a guerra em Cabo Delgado.

DW África: O que poderia ser feito para acabar com a guerra?

SC: Há vários caminhos. Logo quando a guerra teve início, solicitámos ao Governo para que encontrasse os cabecilhas destes movimentos para lhes perguntar o que queriam e para tornar público as suas necessidades. Isso não aconteceu. As armas nunca trouxeram paz em nenhuma parte do mundo. Há vários outros mecanismos que podem levar a nação a ter paz.

Daviz Simango, líder do MDM
(DR)

DW África: Quais seriam os caminhos possíveis para controlar a situação de Cabo Delgado?

SC: Se querem enveredar pela via da guerra, para eliminar os terroristas, deveriam utilizar a melhor estratégia militar possível, para que os terroristas que estão a invadir o país tenham de recuar ou tenham de ser exterminados. Mas a falta de estratégia militar deve estar a facilitar as manobras dos inimigos.

DW África: O Governo moçambicano tem feito vários pedidos internacionais de ajuda para Cabo Delgado. Como é que o MDM olha para estes pedidos?

SC: Ninguém pode sobreviver só de pedidos. Tem de ter a sua base, a sua estratégia e capacidade. Os outros deveriam servir para complementar. Se esperamos que os outros [países] venham fazer tudo o que deveríamos nós fazer, tenho a lamentar que não há boas recordações em torno disso. Se não, os outros também começarão a delapidar o pouco que ainda resta em Moçambique em nome da guerra e do apoio a Cabo Delgado.

DW África: O MDM acredita que a primeira opção tem de ser a capacidade interna?

SC: Sem dúvida. As nossas Forças de Defesa e Segurança têm de estar capacitadas e munidas de instrumentos capazes de repelir qualquer um que queira invadir o nosso país. Nenhum Governo do mundo toleraria que o seu próprio povo morresse quando há várias outras correntes que poderiam ser reunidas para discutir uma estratégia militar, política e social para pôr fim à guerra.

DW África: Enquanto MDM, que assessoria é que o partido poderia dar ao Governo para lidar melhor com este assunto?

SC: Se quiser o nosso apoio e assessoria, o Governo terá de pedir ao MDM e ao seu líder [Daviz Simango] para encontrar soluções para repelir os terroristas em Cabo Delgado. Se há egoísmo por parte do Governo, que pensam que são eles que mandam, o resultado é o que está a acontecer, quer na região centro, quer no norte do país.

DW África: Nunca chegou nenhum pedido do Governo ao MDM por causa da situação de Cabo Delgado?

SC: Que eu saiba, nunca chegou.

- Publicidade -
FonteDW
- Publicidade -

Sonangol e Endiama serão parcialmente privatizadas até 2022

O Governo vai dispersar em bolsa uma parte das empresas petrolífera e diamantífera Sonangol e Endiama em 2021 ou no início de 2022, disse...
- Publicidade -

Covid-19: Consumo de famílias angolanas pode crescer em 2021

Consultora prevê que, no próximo ano, a despesa das famílias angolanas vai se recuperar da queda decorrente dos efeitos da pandemia de Covid-19, e...

Ministério da Cultura consternado com a morte de Teta Lágrimas

O Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente manifestou-se, hoje, em Luanda, consternado com o falecimento, nesta terça-feira, 24, por doença, do cantor e compositor...

Apple planeia ‘abandonar’ iPhone 6s e iPhone SE

Osite The Verifier está a avançar com a notícia de que a próxima versão do sistema operativo da Apple, o iOS 15, excluirá o...

Notícias relacionadas

Sonangol e Endiama serão parcialmente privatizadas até 2022

O Governo vai dispersar em bolsa uma parte das empresas petrolífera e diamantífera Sonangol e Endiama em 2021 ou no início de 2022, disse...

Covid-19: Consumo de famílias angolanas pode crescer em 2021

Consultora prevê que, no próximo ano, a despesa das famílias angolanas vai se recuperar da queda decorrente dos efeitos da pandemia de Covid-19, e...

Ministério da Cultura consternado com a morte de Teta Lágrimas

O Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente manifestou-se, hoje, em Luanda, consternado com o falecimento, nesta terça-feira, 24, por doença, do cantor e compositor...

Apple planeia ‘abandonar’ iPhone 6s e iPhone SE

Osite The Verifier está a avançar com a notícia de que a próxima versão do sistema operativo da Apple, o iOS 15, excluirá o...

Basquetebol: Técnico nacional convicto no apuramento

O seleccionador nacional de basquetebol, José Neto, mostrou-se hoje convicto no apuramento da equipa ao Afrobasket de 2021, cuja eliminatória arranca quarta-feira (dia 25)...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.