- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo Lusófono Portugal Casos de covid-19 entre crianças até aos nove anos sobem 66%. DGS...

Casos de covid-19 entre crianças até aos nove anos sobem 66%. DGS diz que há 477 surtos em escolas

Maior parte dos focos de contágio está em Lisboa e Vale do Tejo. Secretário de Estado da Saúde divulga novos dados sobre pandemia em contexto escolar, depois de três semanas sem actualização.

Há 477 surtos de covid-19 activos em escolas, anunciou esta sexta-feira o secretário de Estado da Saúde, Lacerda Sales. Mais de 60% destes situam-se na região de Lisboa e Vale do Tejo.

A Direcção-Geral de Saúde (DGS) vai passar a divulgar semanalmente a informação relativa ao número de casos de covid-19 em contexto escolar, depois de três semanas em que estes dados não foram actualizados. A decisão é tomada depois de, na quinta-feira, na reunião com peritos, o Presidente da República ter dito que queria saber mais sobre o risco que existe nas escolas. De acordo com os dados da DGS sobre a infecção nas diferentes classes etárias, o grupo das crianças até aos nove anos é aquele onde se registou o maior aumento de infecções nas últimas duas semanas.

Portugal poderá conseguir vacinar 80% da população contra a covid-19

Da Ribeira até à Foz: o Porto visto de cima nos últimos 100 anos
Nas escolas de Lisboa e Vale do Tejo há 291 dos 477 surtos de covid-19 activos em contexto escolar. Considera-se um surto sempre que é há duas ou mais infecções dentro de uma escola. Segundo os dados anunciados pelo secretário de Estado da Saúde, na região Norte, que é aquela onde se tem concentrado a maior parte dos casos da doença na população geral, há 58 surtos em escolas, ao passo que no Centro são 73. Registam-se ainda 29 focos de contágio em estabelecimentos escolares no Alentejo e 27 no Algarve.

Os últimos dados sobre contágio nas escolas tinham sido avançados pela DGS a 23 de Outubro. Eram então 63. Estas informações vão agora passar a ser actualizadas semanalmente pela direcção-geral. Durante o mês de Outubro, a DGS divulgava o número de surtos em escolas nos balanços que fazia regularmente sobre a pandemia, mas há três semanas que a informação não era actualizada.

O Ministério da Educação lançou, entretanto, uma nova plataforma informática onde os directores de cada agrupamento devem dar conta da evolução da pandemia nas respectivas comunidades escolares. O novo sistema veio substituir o email, que estava a ser usado desde o início do ano lectivo como forma de comunicação destes indicadores aos delegados regionais de Educação.

A informação colocada na plataforma é a mesma que já antes era divulgada por email. Isto é, os directores das escolas têm que indicar sempre que existe um caso positivo na comunidade escolar, seja entre alunos, professores ou funcionários, independentemente do local de contágio. Mesmo os contágios que acontecem fora das escolas são contabilizados. Sempre que há uma turma em isolamento profiláctico também é comunicado.

O PÚBLICO pediu estes dados ao Ministério da Educação nas últimas duas semanas, bem como à Direcção-Geral da Saúde, não tendo recebido resposta até ao momento.

Infectados até nove anos sobem 66%

Desde que a plataforma foi lançada, no dia 5 de Novembro, e até à última quarta-feira, o número de jovens até aos nove anos infectados com covid-19 subiu 66%, de acordo com o boletim da DGS emitido nesta quinta-feira, com dados referentes às 24 horas anteriores. Este foi o grupo etário com maior crescimento, seguido dos 10 aos 19 anos (uma subida de 63% das infecções). Ainda assim, a faixa etária até aos nove anos continua a ser aquela onde a incidência da doença é menor.

Desde o início da pandemia foram reportados 11.772 casos de covid-19 entre crianças até aos nove anos, dos quais cerca de 4600 desde 5 de Novembro, data da entrada em funcionamento da plataforma na qual as escolas devem registar os casos positivos. E foram notificados cerca de 20.780 casos nos jovens dos 10 aos 19, dos quais à volta de oito mil também de 5 de Novembro até à data.

Em números absolutos, contudo, o grupo mais atingido é o dos 40-49 anos, com 13 mil novas infecções nestas duas semanas. No mesmo período o aumento total dos casos, em todas as idades foi de 45,6% (ou seja, mais 76.109, tendo a covid-19 atingido desde Março 243 mil pessoas, a maioria das quais recuperou).

Na última semana, a DGS mudou a apresentação dos dados das infecções por grupo etário (havia menos de 300 situações no domingo para as quais não havia idade atribuída, sendo o grupo etário “desconhecido”). Desde o início da semana todas os casos reportados aparecem já com a indicação do grupo etário a que pertence a pessoa que testou positivo. Esta alteração, contudo, terá pouco impacto nas comparações da evolução da doença por idades uma vez que o número de situações que até domingo não apareciam associadas a nenhum grupo etário era residual.

Os números divulgados pelo Governo há duas semanas, quando anunciou novas medidas de combate à pandemia de covid-19, indicavam que cerca de 3% dos casos detectados provinham de “ambiente escolar”, uma categoria onde estão incluídas não só as escolas públicas, como também as privadas, as universidades e os politécnicos.

- Publicidade -
- Publicidade -

Burkina Faso: Jihadistas impedem o voto de 300 mil eleitores

As eleições presidenciais e legislativas no Burkina Faso tiveram lugar num contexto de ameaças de grupos radicais islâmicos. Não houve registo de violência na...
- Publicidade -

Obras do novo Aeroporto Internacional de Luanda retomadas em Janeiro de 2021 e sem financiamento adicional, garante ministro dos Transportes

As obras do novo aeroporto internacional de Luanda vão ser retomadas no princípio de 2021 e serão concluídas no prazo de dois anos, garantiu...

Sonangol e Endiama serão parcialmente privatizadas até 2022

O Governo vai dispersar em bolsa uma parte das empresas petrolífera e diamantífera Sonangol e Endiama em 2021 ou no início de 2022, disse...

Covid-19: Consumo de famílias angolanas pode crescer em 2021

Consultora prevê que, no próximo ano, a despesa das famílias angolanas vai se recuperar da queda decorrente dos efeitos da pandemia de Covid-19, e...

Notícias relacionadas

Burkina Faso: Jihadistas impedem o voto de 300 mil eleitores

As eleições presidenciais e legislativas no Burkina Faso tiveram lugar num contexto de ameaças de grupos radicais islâmicos. Não houve registo de violência na...

Obras do novo Aeroporto Internacional de Luanda retomadas em Janeiro de 2021 e sem financiamento adicional, garante ministro dos Transportes

As obras do novo aeroporto internacional de Luanda vão ser retomadas no princípio de 2021 e serão concluídas no prazo de dois anos, garantiu...

Sonangol e Endiama serão parcialmente privatizadas até 2022

O Governo vai dispersar em bolsa uma parte das empresas petrolífera e diamantífera Sonangol e Endiama em 2021 ou no início de 2022, disse...

Covid-19: Consumo de famílias angolanas pode crescer em 2021

Consultora prevê que, no próximo ano, a despesa das famílias angolanas vai se recuperar da queda decorrente dos efeitos da pandemia de Covid-19, e...

Ministério da Cultura consternado com a morte de Teta Lágrimas

O Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente manifestou-se, hoje, em Luanda, consternado com o falecimento, nesta terça-feira, 24, por doença, do cantor e compositor...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.