- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Ciências e Tecnologia Inclusão Digital alinha parceiros

Inclusão Digital alinha parceiros

A multinacional Internet Technologies Angola (ITA S.A.) multinacional participou no Fórum Anual de Transformação Digital com o tema “Dos Serviços financeiros ao comércio, como a Pandemia acelera a digitalização, onde fez saber que tem vindo a traçar uma trajetória sempre alinhada com o Governo no que toca a melhores serviços tecnológicos e inclusão digital em Angola.

No Fórum representada pelo Director Geral, Francisco Pinto Leite, a tecnológica pretendeu, com a sua participação, incentivar as empresas ligadas ao ramo de telecomunicações, para que elas cumpram com o seu papel de elevar as comunicações e os serviços tecnológicos de Angola, para que o país seja um HUB (ponto de referencia) em África.

No passado, já se predispôs a transformar Angola em um Hub da dados e tem trilhado um caminho seguro, que conta com maior, mais fiável e seguro Data Center de Angola, o mais moderno Teleporto de satélites, e recentemente, disponibilizou as suas infra estruturas de comunicação para partilha com outras operadoras de telecomunicações.

A multinacional Internet Technologies Angola (ITA S.A.) multinacional participou no Fórum Anual de Transformação Digital com o tema “Dos Serviços financeiros ao comércio, como a Pandemia acelera a digitalização.
(DR)

De acordo com Francisco Pinto Leite, participar nestes fóruns com colegas de profissão, jovens empresas e profissionais do mercado, é acima de tudo distribuir e colher frutos do trabalho realizado pela ITA, que sempre alinhado com as políticas do governo, incluem a nova intenção de alavancar a expansão dos serviços de telecomunicações em Angola, que proporcionará serviços de melhor qualidade e preços mais acessíveis ao consumidor final.

“Quando o tema é partilha, trabalhar com a AAPSI e o outros operadores do mercado tem sido proveitoso, porque conseguem em uníssono produzir documentos que ajudam a redução de custos na ligação internacional, o que permitira que empresas de conteúdos se interessem pelo mercado angolano”, disse Pinto Leite, para quem o acesso ao cabo submarino WACS por parte de outros operadores, pode gerar negociações directas com outros fornecedores internacionais de trafego o que poderia aumentar a concorrência do mercado de trafego internacional, e reduzir os custos em até 90%.

Por fim, Francisco Pinto Leite lembra que nestes 15 anos de telecomunicações da ITA em Angola, passaram de uma empresa de direito angolano, para uma multinacional ao pertencer ao Grupo Paratus, estão presentes em 14 das 18 províncias do País, investindo na expansão da cobertura, contando com instalações terrestres em fibra óptica e micro-ondas, com mais de 150 sites ao longo do país.

- Publicidade -
FonteJA
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.