InicioAngolaSociedadeExplosão de engenho provoca três feridos no Cunene

Explosão de engenho provoca três feridos no Cunene

Três pessoas com idade entre 36 a 47 anos de idade ficaram, nesta segunda-feira, gravemente feridas, na localidade de Oshomukuyo, arredores da cidade de Ondjiva, província do Cunene, em consequência da explosão de um engenho.

Os três pacientes, que estão internados e receber cuidados médicos no Hospital Municipal do Cuanhama, tentavam cortar um projéctil de morteiro 82 milímetros para retirar mercúrio.

Romano Ndahangelao de 47 anos de idade, uma das vítimas da explosão, disse que apenas foi convidado para ajudar a cortar o engenho para aproveitar o mercúrio.

Informou que no local estavam quatros pessoas, mas no momento da explosão um se colocou em fuga, sem sofrer danos físicos.

Por seu turno, o mdico geral em serviço no Banco de Urgência, Nelson Vakumuifange, disse que o paciente mais grave’, com fractura no braço direito, foi para o bloco operatório.

Explicou que os outros dois pacientes, com ferida perfurante no torax direito e na tíbia, estão clinicamente estáveis.

Acidentes com minas já ocorrem no Cunene, em 2019, na comuna da Môngua, onde cinco pessoas morreram e uma ficou ferida após accionar uma mina anti-tanque.

A província do Cunene conta, nesta altura, com três operadoras de desminagem, nomeadamente Brigada das Forças Armadas Angolanas, do Instituto Nacional de Desminagem (INAD) e da Polícia de Guarda Fronteira.

Das três operadoras existentes, apenas a brigada do Instituto Nacional de Desminagem (INAD) está a desenvolver acções de desminagem.

A brigada do INAD está actuar na zona onde será implementado o projecto agrícola dos antigos combatentes, em Ondjiva, e no troço de 70 quilómetros que liga as comunas de Mupa e Kalonga, no município do Cuvelai.

Com esse quadro, fruto da paragem de actividade das brigadas de desminagem das Forças Armadas Angolanas (FAA) e da Policia de Guarda Fronteira, 35 zonas suspeitas de minas na província do Cunene encontram-se sem intervenção desde 2017, nos municípios do Cuanhama, Cuvelai, Namacunde, Cahama e Ombadja.

Nos últimos três meses foram removidos, sete minas anti-tante, 12 minas anti-pessoal, 429 engenhos explosivos não detonados, nove mil e 284 munições diversas, que permitiu limpar uma área de 49 mil e 611 metros quadrados.

FonteAngop

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.