- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo África Sudão prestes a sair da lista negra americana

Sudão prestes a sair da lista negra americana

Depois de meses de negociações entre as autoridades transitórias sudanesas e a administração americana, Cartum está prestes a sair da lista dos países que segundo os Estados Unidos apoiam o terrorismo internacional. Uma decisão que, a concretizar-se, pode contribuir para este país começar a ultrapassar a crise económica que atravessa há largos anos.

De acordo com um Tweet ontem do presidente Trump, o Sudão aceita pagar 335 milhões de dólares aos familiares e às vítimas de ataques terroristas às embaixadas norte-americanas na Tanzânia e no Quénia, em 1998, e ao navio USS Cole, no Iémen, em 2000. “Boas notícias! O novo Governo do Sudão, que está a fazer grandes progressos, concordou pagar 335 milhões de dólares às vítimas americanas e seus familiares alvo de terrorismo”, escreveu Trump no Twitter. “Assim que for depositado, retirarei o Sudão da lista de estados apoiantes do terrorismo”, indicou o presidente americano.

Pouco depois, Trump recebeu uma mensagem de agradecimento do chefe do governo de transição do Sudão. “Muito obrigado, Presidente Trump! Aguardamos com grande expectativa a notificação oficial do Congresso revogando a designação do Sudão como estado patrocinador do terrorismo, que tantos custos trouxe ao país”, escreveu Abdallah Hamdok cuja administração informou esta manhã jà ter efectuado a transferência prometida aos americanos.

Com este anúncio, poderiam estar a terminar longos anos de isolamento internacional do Sudão. Classificado em 1993 pelos Estados Unidos de “Estado patrocinador do terrorismo”, o Sudão então dirigido por Omar El Bechir, foi acusado de apoiar o terrorismo islâmico, de dar refúgio ao então líder da Al-Qaeda, Ussama Ben Laden e, mais tarde, de ter estado envolvido nos bombardeamentos às embaixadas norte-americanas em Dar es Salaam, na Tanzânia, e em Nairobi, no Quénia, em 1998. Washington responsabilizou igualmente o regime de Bechir pelo ataque no ano 2000 contra o navio USS Cole, no porto de Áden, no Iémen.

Para além de constar desta ‘lista negra’ americana, o Sudão tem sido também alvo de sanções económicas e comerciais por parte dos americanos. Este aspecto e a instabilidade recorrente no país têm sido freios aos investimentos estrangeiros e ao crescimento económico do Sudão.

Com uma moeda frágil, uma taxa de inflação que chegou aos 212% do PIB no mês passado e uma taxa de desemprego que em 2017 ascendeu aos 19,6%, o Sudão vê um quarto da sua população a passar fome, o seu governo de transição, instalado em 2019 pouco depois de Omar El Bechir ter sido derrubado, tendo desde já avisado que não tem verbas para pagar o fornecimento de trigo, medicamentos e combustível.

De um ponto de vista político, a retirada do Sudão da lista dos «Estados patrocinadores do terrorismo», poderia igualmente dar um impulso às negociações que o Sudão confirmou em Agosto estar a tentar conduzir com vista a estabelecer relações diplomáticas com Israel, à semelhança do que sucedeu recentemente com os Emirados Árabes Unidos e o Barhein.

- Publicidade -
FonteRFI
- Publicidade -

Mexidas: Nuno Carnaval rende Ana Paula Neto no cargo de titular da Juventude e Desportos

Nuno (dos Anjos Caldas Albino) Carnaval, actual secretario de Estado da Comunicação Social, poderá render, nos próximos dias, Ana Paula da Silva do Sacramento...
- Publicidade -

Rafael Savimbi aconselha PR João Lourenço, a organizar eleições autárquicas em 2021 e a promover a descentralização no país

Numa intervenção no Forum Angola, organizado pelo Instituto Real de Relações Internacionais Chatham House, o dirigente da União Nacional para a Independência Total de...

Odebrecht instala mecanismos anti-corrupção e deixa de estar sob monitorização externa

A Odebrecht anunciou que está concluída a monitorização externa independente à empresa de engenharia e construção, que decorria há quase 4 anos, pelo Departamento...

Governo vai financiar estágios profissionais para jovens

O Presidente da República, João Lourenço, aprovou um programa de estágios profissionais para jovens que tenham um curso técnico-profissional, um curso de formação profissional,...

Notícias relacionadas

Mexidas: Nuno Carnaval rende Ana Paula Neto no cargo de titular da Juventude e Desportos

Nuno (dos Anjos Caldas Albino) Carnaval, actual secretario de Estado da Comunicação Social, poderá render, nos próximos dias, Ana Paula da Silva do Sacramento...

Rafael Savimbi aconselha PR João Lourenço, a organizar eleições autárquicas em 2021 e a promover a descentralização no país

Numa intervenção no Forum Angola, organizado pelo Instituto Real de Relações Internacionais Chatham House, o dirigente da União Nacional para a Independência Total de...

Odebrecht instala mecanismos anti-corrupção e deixa de estar sob monitorização externa

A Odebrecht anunciou que está concluída a monitorização externa independente à empresa de engenharia e construção, que decorria há quase 4 anos, pelo Departamento...

Governo vai financiar estágios profissionais para jovens

O Presidente da República, João Lourenço, aprovou um programa de estágios profissionais para jovens que tenham um curso técnico-profissional, um curso de formação profissional,...

Potencial petrolífero é de 40 mil milhões de dólares

As empresas angolanas do sector petrolífero apenas aproveitam cerca de 10 por cento do potencial estimado em 40 mil milhões de dólares que a...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.