- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Angola Sociedade Crise económica agrava desnutrição infantil

Crise económica agrava desnutrição infantil

Estima-se que, todos os dias, 46 pessoas morrem por desnutrição em Angola. UNICEF diz que a situação das crianças piorou com a crise provocada pela pandemia da Covid-19.

A crise económica sentida desde a queda do preço do barril do petróleo e agravada pela pandemia da Covid-19 está a acentuar o problema da desnutrição infantil em Angola.

Se antes da crise os números “não eram bons”, com a crise “eles só tendem a agravar”, afirma Sérgio Calundungo, coordenador do Observatório Político e Social de Angola. O economista lembra que muitas famílias deixaram de ter meios de sustento.

“Havia muitas famílias cuja produção era vendida nas principais vias de acesso e, havendo menos tráfego e circulação de pessoas, a probabilidade de vender um quilo de fruta e de vender um quilo de produtos agrícolas diminuiu bastante”, analisa.

Impactos no desenvolvimento
De acordo com o último Inquérito de Indicadores Múltiplos de Saúde (IIMS), em 2016, uma em cada quatro crianças menores de cinco anos sofria de desnutrição crónica em Angola, o correspondente a 1,9 milhões de crianças. Fanceni Balde, coordenadora dos projectos de nutrição da UNICEF Angola, explica que a má alimentação pode causar distúrbios que, no limite, podem levar à morte.

“Normalmente essa desnutrição é representada por desequilíbrios que foram acontecendo ao longo da gestação e nos primeiros cinco anos e que depois têm impactos de forma irreversível, tanto na capacidade de desenvolvimento cognitivo e de aprendizagem da criança, como também no seu próprio estado de saúde.”

Uma das principais causas do problema apontadas por Balde é a falta de alimentação dos bebés com leite materno: “Temos somente 38% dos nossos bebés angolanos que são amamentados de forma exclusiva e predominantemente exclusiva até aos seis meses. Isso depois traduz-se na anemia. Temos cerca de 65% das nossas crianças com menos de cinco anos que sofrem de anemia”, cita.

A dieta pobre e pouco diversificada, sem introdução de alimentos ricos em nutrientes, é outra das causas da desnutrição apontadas pela especialista da UNICEF, que diz que quase 88% das crianças entre os 6 e os 23 meses não têm acesso a dietas diversificadas.

- Publicidade -
FonteDW
- Publicidade -

Com aval do BP e BCE: Eurobic tem mais 12 interessados na compra

O banco português de capitais angolanos está a ser cobiçado e mais 12 candidatos posicionam-se depois do negócio não avançar com os espanhóis da...
- Publicidade -

Papam tudo, a música que mexe com tudo que é mau em Angola

Ao tempo em que saíu o single, o autor Jorge Monteiro, foi objecto de alguma curiosidade, a ponto de alguns programas da Rádio Nacional...

Governo brasileiro diz que vermífugo reduz carga viral do Coronavírus

O governo federal afirmou segunda-feira ter comprovado que o vermífugo nitazoxanida reduz a carga viral de pacientes infectados com o novo coronavírus. O anúncio...

Camilo Ceita esperava por “algum respeito e consideração”

Antigo director do INE soube da sua substituição pelas redes sociais, durante a tarde da última sexta-feira. Num ‘mail’ de despedida e agradecimento aos...

Notícias relacionadas

Com aval do BP e BCE: Eurobic tem mais 12 interessados na compra

O banco português de capitais angolanos está a ser cobiçado e mais 12 candidatos posicionam-se depois do negócio não avançar com os espanhóis da...

Papam tudo, a música que mexe com tudo que é mau em Angola

Ao tempo em que saíu o single, o autor Jorge Monteiro, foi objecto de alguma curiosidade, a ponto de alguns programas da Rádio Nacional...

Governo brasileiro diz que vermífugo reduz carga viral do Coronavírus

O governo federal afirmou segunda-feira ter comprovado que o vermífugo nitazoxanida reduz a carga viral de pacientes infectados com o novo coronavírus. O anúncio...

Camilo Ceita esperava por “algum respeito e consideração”

Antigo director do INE soube da sua substituição pelas redes sociais, durante a tarde da última sexta-feira. Num ‘mail’ de despedida e agradecimento aos...

Gilberto Viríssimo: “Angola não está integrada em nenhum dos projectos de estradas regionais por culpa própria”

À frente da Comissão da Comunidade Económica dos Estados da África Central (CEEAC), desde 31 de Agosto, o angolano Gilberto Veríssimo, diz, em entrevista...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.