- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo Europa Pós-Brexit no topo da agenda do Conselho Europeu

Pós-Brexit no topo da agenda do Conselho Europeu

Os líderes da União Europeia voltam a reunir-se num Conselho Europeu, em Bruxelas, esta quinta e sexta-feira, com o Brexit, as relações com África e a pandemia da covid-19 no topo da agenda. O primeiro-ministro britânico tinha ameaçado pôr fim às negociações se não houvesse acordo até 15 de Outubro, mas as posições ainda estão muito distantes.

O Conselho Europeu, em Bruxelas, vai começar, esta quinta-feira à tarde, com um debate sobre as relações futuras com o Reino Unido, a menos de cem dias do fim do período de transição do Brexit e quando o cenário de um “no deal” aparece como o mais provável.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, tinha dado até hoje, 15 de Outubro, a data do “tudo ou nada”, em que estabeleceria com os parceiros europeus se havia ou não condições para a assinatura de um acordo para a futura parceria económica e política entre o Reino Unido e a União Europeia. No entanto, as posições ainda estão muito distantes e os líderes europeus estão preparados para o “no deal”.

Na carta com a agenda da reunião enviada aos chefes de Estado e de governo, o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, disse que “os próximos dias serão decisivos” e que “é do interesse de ambos os lados ter um acordo fechado antes do fim do período de transição”. No entanto, ele insistiu que esse acordo “não pode ser alcançado a qualquer preço”, e que a Europa não transigirá na questão das pescas, concorrência e governança.

Em Londres, na última semana, o líder da equipa negocial, David Frost, manifestou a sua convicção de que seria possível alcançar um acordo em breve. Porém, no lado europeu há bastante mais pessimismo com a forma como estão a decorrer as negociações.

Depois do “Brexit”, os líderes europeus vão falar sobre as acções previstas pela UE no combate às alterações climáticas, depois de, em Dezembro do ano passado, o Conselho Europeu se ter comprometido com a meta de a Europa atingir a neutralidade climática até 2050 e de a Comissão ter proposto um novo objectivo intercalar de uma redução de pelo menos 55% das emissões até 2030. Mas alguns países discordam da meta intercalar de 55%.

A pandemia da covid-19 é outro dos temas em agenda. O assunto deverá ser discutido na sexta-feira. Os líderes farão um ponto da situação dos esforços de coordenação ao nível comunitário sobre as medidas que restringem a livre circulação e, por outro lado, a presidente da Comissão, Ursula von der Leyen, dará conta dos progressos no desenvolvimento de uma vacina.

Ainda na sexta-feira, os trabalhos são retomados com uma discussão sobre as relações da Europa com África, tendo em vista a futura reunião com os líderes da União Africana. Na semana passada, o primeiro-ministro português, António Costa, deu como certo que a cimeira entre a União Europeia e a União Africana só se vai realizar em 2021.

- Publicidade -
- Publicidade -

Ainda sobre os enganos do discurso sobre o Estado da Nação: JLo atribui mais 6,1 mil milhões USD às RIL

ESTATÍSTICAS. Economistas consideram difícil entender lapso do Presidente da República que, ao invés de 9,3 mil milhões de dólares, disse que as Reservas Internacionais...
- Publicidade -

Activistas angolanos não cedem: Nova marcha a 11 de Novembro

Activistas culpam o Presidente João Lourenço pelos incidentes de sábado, durante a marcha em Luanda por melhores condições de vida. Segundo os organizadores, duas...

Vítimas em Cabo Delgado têm direito a ter uma história, diz Mia Couto

O escritor moçambicano Mia Couto apelou hoje à humanização do relato sobre o conflito armado em Cabo Delgado, norte do país, destacando a história...

Notícias relacionadas

Ainda sobre os enganos do discurso sobre o Estado da Nação: JLo atribui mais 6,1 mil milhões USD às RIL

ESTATÍSTICAS. Economistas consideram difícil entender lapso do Presidente da República que, ao invés de 9,3 mil milhões de dólares, disse que as Reservas Internacionais...

Activistas angolanos não cedem: Nova marcha a 11 de Novembro

Activistas culpam o Presidente João Lourenço pelos incidentes de sábado, durante a marcha em Luanda por melhores condições de vida. Segundo os organizadores, duas...

Vítimas em Cabo Delgado têm direito a ter uma história, diz Mia Couto

O escritor moçambicano Mia Couto apelou hoje à humanização do relato sobre o conflito armado em Cabo Delgado, norte do país, destacando a história...

Rui Pinto e Júdice? “Ladrão que rouba a ladrão tem cem anos de perdão…”

"Já lá diz a sabedoria popular: ladrão que rouba a ladrão tem cem anos de perdão..." Foi desta forma que Ana Gomes reagiu, no Twitter,...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.