- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Política FLEC-FAC pede apoio da Nigéria e Marrocos para adesão de Cabinda na...

FLEC-FAC pede apoio da Nigéria e Marrocos para adesão de Cabinda na UA

O pedido de apoio foi tornado público nesta quinta-feira (15.10), pela direcção política da Libertação do Estado de Cabinda (FLEC) em comunicado de imprensa.

A direcção política da Libertação do Estado de Cabinda (FLEC), solicitou nesta quinta-feira (15.10) ao presidente da Nigéria, Muhammadu Buhari, e ao rei de Marrocos, Mohammed VI que apoiem a adesão de Cabinda, através da FLEC, como membro observador da União Africana (UA).

Através de um comunicado, a FLEC lembra que em 1963 a então Organização da Unidade Africana (OUA), hoje União Africana (UA), determinara Cabinda como 39º território a descolonizar e Angola o 35º território.

A FLEC-FAC acusa ainda o Estado angolano de colonizar Cabinda após o abandono de Portugal em 1975.

“A admissão de Cabinda como membro observador da União Africana será a reparação de um erro e correcção de um esquecimento histórico que permitirá chamar a atenção de todos os Estados africanos para a situação de constante violação dos Direitos Humanos e dos Povos vivida em Cabinda e praticada pelas forças armadas angolanas”, diz a direcção política da FLEC em comunicado.

Cabinda é um enclave rico em petróleo.
(DR)

Optimismo
Por outro lado, aquela organização mostra optimismo na resposta positiva do Presidente da Nigéria, e do rei do Marrocos por acreditar que “são estados que protegem a dignidade dos povos e que condenam veemente as práticas repressivas e belicistas de Angola em Cabinda”.

Recorde-se que a FLEC, através das FAC, luta pela independência do território, alegando que o enclave era um protectorado português, tal como ficou estabelecido no Tratado de Simulambuco, assinado em 1885, e não parte integrante do território angolano.

Criada em 1963, a organização independentista dividiu-se e multiplicou-se em diferentes facções, efémeras, com a FLEC-FAC a manter-se como o único movimento que alega manter uma “resistência armada” contra a administração de Luanda.

- Publicidade -
FonteDW
- Publicidade -

Com aval do BP e BCE: Eurobic tem mais 12 interessados na compra

O banco português de capitais angolanos está a ser cobiçado e mais 12 candidatos posicionam-se depois do negócio não avançar com os espanhóis da...
- Publicidade -

Papam tudo, a música que mexe com tudo que é mau em Angola

Ao tempo em que saíu o single, o autor Jorge Monteiro, foi objecto de alguma curiosidade, a ponto de alguns programas da Rádio Nacional...

Governo brasileiro diz que vermífugo reduz carga viral do Coronavírus

O governo federal afirmou segunda-feira ter comprovado que o vermífugo nitazoxanida reduz a carga viral de pacientes infectados com o novo coronavírus. O anúncio...

Camilo Ceita esperava por “algum respeito e consideração”

Antigo director do INE soube da sua substituição pelas redes sociais, durante a tarde da última sexta-feira. Num ‘mail’ de despedida e agradecimento aos...

Notícias relacionadas

Com aval do BP e BCE: Eurobic tem mais 12 interessados na compra

O banco português de capitais angolanos está a ser cobiçado e mais 12 candidatos posicionam-se depois do negócio não avançar com os espanhóis da...

Papam tudo, a música que mexe com tudo que é mau em Angola

Ao tempo em que saíu o single, o autor Jorge Monteiro, foi objecto de alguma curiosidade, a ponto de alguns programas da Rádio Nacional...

Governo brasileiro diz que vermífugo reduz carga viral do Coronavírus

O governo federal afirmou segunda-feira ter comprovado que o vermífugo nitazoxanida reduz a carga viral de pacientes infectados com o novo coronavírus. O anúncio...

Camilo Ceita esperava por “algum respeito e consideração”

Antigo director do INE soube da sua substituição pelas redes sociais, durante a tarde da última sexta-feira. Num ‘mail’ de despedida e agradecimento aos...

Gilberto Viríssimo: “Angola não está integrada em nenhum dos projectos de estradas regionais por culpa própria”

À frente da Comissão da Comunidade Económica dos Estados da África Central (CEEAC), desde 31 de Agosto, o angolano Gilberto Veríssimo, diz, em entrevista...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.