- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Política Movimento que quer autonomia do Leste de Angola desafia PR a falar...

Movimento que quer autonomia do Leste de Angola desafia PR a falar sobre reivindicação

O Movimento do Protectorado Português da Lunda Tchokwe, que reclama autonomia do leste de Angola, desafia o Presidente angolano a abordar a “luta pacífica de reivindicação da autonomia” da região.

O Movimento do Protectorado Português da Lunda Tchokwe (MPPLT), que reclama autonomia do leste de Angola, desafia o Presidente angolano a abordar, no seu discurso sobre o Estado da Nação, a “luta pacífica de reivindicação da autonomia” da região.

O Presidente angolano, João Lourenço, fala nesta quinta-feira sobre o Estado da Nação marcando a abertura do ano parlamentar 2020-2021.

Em comunicado de imprensa enviado à Lusa, o MPPLT refere que a autonomia daquela região, que compreende as províncias do Moxico, Lunda Sul e Lunda Norte, “é um direito histórico divino e legítimo do povo tchokwe que o Presidente não deveria ignorar na sua alocução”.

O MPPLT, que reafirma ser um protetorado e não uma ex-colónia portuguesa, recorda que uma das promessas do PR angolano foi de “dar ouvidos a todas as sensibilidades”, mas o que se assiste, sublinha, “são portas fechadas em torno de si”.

“Inviabilizando o debate sobre a questão, não há espaço para o diálogo e concertação no momento em que a reivindicação é ainda pacífica”, ao longo dos 14 anos de existência do movimento, lê-se no comunicado.

Para este movimento que defende a autonomia do leste de Angola, chegou a hora de o Presidente do MPLA (Movimento Popular de Libertação de Angola, no poder deste 1975) e de Angola dizerem ao mundo e aos angolanos a verdade histórica do território Lunda.

Segundo o MPPLT, é necessário que o Presidente angolano fale publicamente sobre a questão da Lunda Tchokwe e proponha caminhos para a solução desta controvérsia.

Na parte final do comunicado, o movimento considera ainda que João Lourenço “não deveria ignorar por muito tempo o diálogo a manter a atual situação”.

Porque, observa, o povo Lunda Tchokwe “ver-se-á obrigado e forçado” a “anunciar e proclamar unilateralmente” o “Governo Independente da Lunda Tchokwe, criadas que estão as condições humanas, psicológicas e materiais para o efeito”.

As províncias da Lunda Sul e Lunda Norte, ambas do leste angolano, são as maiores produtoras de diamantes.

No sábado, o Presidente da República desloca-se à província da Lunda Sul para uma visita de trabalho.

Na sua página de Facebook, o MPPLT afirma que João Lourenço vai reunir com os Sobas (autoridades tradicionais) da Lunda Tchokwe “para os pressionar a desistir da ideia de um Estado Autónomo um direito legítimo”.

Além do MPPLT, as Forças de Libertação do Enclave de Cabinda – Forças Armadas de Cabinda (FLEC-FAC), norte de Angola, reclamam autonomia daquela região, separada fisicamente do território e abundante em petróleo.

 

- Publicidade -
- Publicidade -

Ana Gomes sobe à custa de Marcelo e Ventura

A candidata da área socialista é cada vez mais a pretendente a Belém com maior margem para impedir uma reeleição retumbante de Marcelo. Ana...
- Publicidade -

Burlas “matam” sonho da casa própria de milhares de famílias

Das dezenas de projectos imobiliários lançados no auge da construção em Luanda, muitos foram parar à barra do tribunal por burlas aos clientes, que...

O tempo e o bom senso (IV)

1 - Há muito que acompanho a trajectória de Jorge Valdano, um argentino com invejável percurso no mundo do futebol (jogador, treinador, dirigente e...

Joana Lina, GPL: “Manifestação foi acto de vandalismo”

Durante a marcha realizada por membros da sociedade civil e apoiada pela UNITA, foram queimadas motas e destruídos contentores de lixo, além do impedimento...

Notícias relacionadas

Ana Gomes sobe à custa de Marcelo e Ventura

A candidata da área socialista é cada vez mais a pretendente a Belém com maior margem para impedir uma reeleição retumbante de Marcelo. Ana...

Burlas “matam” sonho da casa própria de milhares de famílias

Das dezenas de projectos imobiliários lançados no auge da construção em Luanda, muitos foram parar à barra do tribunal por burlas aos clientes, que...

O tempo e o bom senso (IV)

1 - Há muito que acompanho a trajectória de Jorge Valdano, um argentino com invejável percurso no mundo do futebol (jogador, treinador, dirigente e...

Joana Lina, GPL: “Manifestação foi acto de vandalismo”

Durante a marcha realizada por membros da sociedade civil e apoiada pela UNITA, foram queimadas motas e destruídos contentores de lixo, além do impedimento...

Polícia frustra manifestação não autorizada em Luanda

A Policia Nacional frustrou ontem a realização de uma manifestação não autorizada pelas autoridades, por força das medidas restritivas de prevenção e combate à...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.