- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Economia Angola entre os países africanos que defendem suspensão da dívida para 2021

Angola entre os países africanos que defendem suspensão da dívida para 2021

A ministra das Finanças angolana, Vera Daves, juntou-se a outros governantes africanos que defendem o prolongamento da iniciativa de suspensão da dívida para 2021, posição expressa num encontro de alto nível com representantes do FMI e Banco Mundial.

O seminário que juntou a diretora-geral do Fundo Monetário Internacional, Kristalina Georgieva, e o presidente do Grupo Banco Mundial, David Malpass, a vários ministros africanos visou identificar opções para ampliar o financiamento à região africana nos próximos cinco anos, partilhar experiências com as políticas implementadas pelos vários países em resposta à pandemia e as suas consequências económicas e sociais, anunciou hoje o ministério das Finanças (MINFIN).

No seminário sobre “Mobilização com África”, os intervenientes “convergiram quanto à necessidade de mobilização de recursos internacionais extraordinários para acudir à situação pós-pandemia” e pediram um prolongamento até 2021 da Iniciativa do G-20 para a Suspensão do Serviço da Dívida (DSSI), destaca o MINFIN numa nota publicada no seu portal.

Vera Daves de Sousa referiu-se às medidas, sobretudo em termos de sustentabilidade da dívida, para fazer face ao choque da pandemia sobre a economia e sistemas de saúde.

“Gostaríamos de ver a extensão das iniciativas de alívio existentes, pelas quais agradecemos a todos os parceiros multilaterais e bilaterais, e enfatizamos o nosso compromisso de tornar as nossas economias e sistemas de saúde mais resistentes a choques, manter a sustentabilidade da dívida, melhorar o ambiente de negócios e criar as condições para o investimento estrangeiro direto e a diversificação económica que promova o crescimento”, afirmou a governante angolana, citada pelo MINFIN.

O seminário sobre “Mobilização com África”, realizado de forma virtual, serviu de antecâmara das reuniões anuais das instituições financeiras internacionais que decorrem entre hoje e 17 de outubro.

No encontro, Kristalina Georgieva, citada na nota do MINFIN, salientou a necessidade de os Estados africanos intensificarem as reformas económicas que visam a melhoria da qualidade da despesa em domínios fundamentais como a educação, saúde, digitalização e infraestruturas, indicando que sem reformas, “a ajuda externa não será eficaz nem suficiente”.

David Malpass informou, por seu turno, que o Conselho de Administração do Banco Mundial está em vias de aprovar, nos próximos dias, um programa de 12 mil milhões de dólares norte-americanos destinados a aquisição de vacinas para a prevenção da covid-19.

O presidente do Grupo Banco Mundial anunciou também o lançamento, na próxima semana, da primeira edição do relatório sobre o Estado Internacional da Dívida, “documento que reflete a gravidade da situação, particularmente entre os países africanos”.

Na mesma ocasião, o Presidente da República Francesa, Emmanuel Macron, anunciou a realização, em maio de 2021, em Paris, de uma Conferência Internacional de Alto Nível para o financiamento de África, tendo em vista a mobilização de recursos para o financiamento de grandes projetos de investimento público, com envolvimento do setor privado.

O evento juntou entidades políticas e governativas de vários países africanos, especialmente ministros das Finanças e da Economia e governadores dos bancos centrais, com destaque para Senegal, Gana, Nigéria, Camarões e Tunísia, assim como de altos responsáveis de organizações multilaterais internacionais.

Estiveram igualmente presentes o secretário-geral da ONU, António Guterres, o presidente da Comissão da União Africana, Moussa Faki, e a secretária executiva da Comissão Económica das Nações Unidas para África, Vera Songwe.

Esta foi a segunda edição do evento promovida pelo Departamento Africano do FMI.

- Publicidade -
- Publicidade -

Ana Gomes sobe à custa de Marcelo e Ventura

A candidata da área socialista é cada vez mais a pretendente a Belém com maior margem para impedir uma reeleição retumbante de Marcelo. Ana...
- Publicidade -

Burlas “matam” sonho da casa própria de milhares de famílias

Das dezenas de projectos imobiliários lançados no auge da construção em Luanda, muitos foram parar à barra do tribunal por burlas aos clientes, que...

O tempo e o bom senso (IV)

1 - Há muito que acompanho a trajectória de Jorge Valdano, um argentino com invejável percurso no mundo do futebol (jogador, treinador, dirigente e...

Joana Lina, GPL: “Manifestação foi acto de vandalismo”

Durante a marcha realizada por membros da sociedade civil e apoiada pela UNITA, foram queimadas motas e destruídos contentores de lixo, além do impedimento...

Notícias relacionadas

Ana Gomes sobe à custa de Marcelo e Ventura

A candidata da área socialista é cada vez mais a pretendente a Belém com maior margem para impedir uma reeleição retumbante de Marcelo. Ana...

Burlas “matam” sonho da casa própria de milhares de famílias

Das dezenas de projectos imobiliários lançados no auge da construção em Luanda, muitos foram parar à barra do tribunal por burlas aos clientes, que...

O tempo e o bom senso (IV)

1 - Há muito que acompanho a trajectória de Jorge Valdano, um argentino com invejável percurso no mundo do futebol (jogador, treinador, dirigente e...

Joana Lina, GPL: “Manifestação foi acto de vandalismo”

Durante a marcha realizada por membros da sociedade civil e apoiada pela UNITA, foram queimadas motas e destruídos contentores de lixo, além do impedimento...

Polícia frustra manifestação não autorizada em Luanda

A Policia Nacional frustrou ontem a realização de uma manifestação não autorizada pelas autoridades, por força das medidas restritivas de prevenção e combate à...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.