InicioAngolaSociedadeHuíla: Ministério Público decreta prisão preventiva para 11 homens acusados de exploração...

Huíla: Ministério Público decreta prisão preventiva para 11 homens acusados de exploração ilegal de ouro na Jamba

O Ministério Público (MP) decretou a prisão preventiva a 11 homens acusados de exploração ilegal de ouro, no município da Jamba, comuna de Cassinga Tchamutete, província da Huíla, adiantou esta terça-feira,06, ao Novo Jornal, fonte da corporação.

Os arguidos, em prisão preventiva, conheceram ao início da tarde desta segunda-feira,05, a medida de coação mais gravosa decretada pelo magistrado do Ministério Público (MP) junto do SIC-Huíla.

Ao Novo Jornal, o porta-voz interino do Comando Provincial da Huíla da Polícia Nacional (PN), terceiro subchefe Fernando Tonho, disse que a detenção dos arguidos ocorreu no âmbito de uma micro-operação denominada Transparência que teve como finalidade o combate à exploração ilícita de ouro na localidade.

“Os suspeitos são todos angolanos e durante a operação realizada na sexta-feira, 01, foram ainda apreendidos vários instrumentos, como motobombas, pás e picaretas, além de algum dinheiro”, referiu Fernando Tonho.

De acordo com o porta-voz interino, as forças da ordem não se pouparam a esforços e usaram técnicas de investigação que permitiram não só a detenção dos 11 cidadãos envolvidos como também a apreensão de um saco de cascalho de ouro.

“O garimpo ilegal é punível nos termos da lei nº 2/07 de 31 de Agosto”, acrescentou Fernando Tonho, referindo que os cidadãos residentes nas zonas de garimpo “devem e precisam de estar mais vigilantes para ajudar as autoridades a combater este fenómeno que vem crescendo dia para dia, no sentido de evitar o saque dos recursos naturais”.

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.