InicioCovid-19Covid-19: Professores que efectuaram testes na semana passada devem aguardar resultados em...

Covid-19: Professores que efectuaram testes na semana passada devem aguardar resultados em casa, diz ministra

Os mais de 3 000 professores do ensino geral que realizaram a testagem da covid-19 nos dias 30 de Setembro e 01 de Outubro, em Luanda, não devem ir trabalhar sem os resultados negativos dos testes, por isso, vão ter de aguardar em casa, disse a ministra da Educação.

Esta segunda-feira, 5, os estudantes do ensino universitário e das classes de transição do primeiro e segundo ciclos do ensino secundário regressaram às aulas presenciais em todo o País, depois de seis meses de paralisação, mas com um conjunto de regras de higiene e segurança para minimizar o contágio da covid-19.

Ao falar aos jornalistas esta manhã na escola Njinga Mbandi, em Luanda, sobre o arranque das aulas presencias, a ministra da Educação, Luísa Grilo, afirmou que os mais de 3 000 professores que efectuaram a testagem da covid-19 nas instalações do INE-Marista não devem comparecer, por enquanto, nas escolas, sem os resultados negativos.

“Todos os professores que fizeram o teste da covid na semana passada devem aguardar pelos resultados em casa. Aqueles que ainda não realizaram os testes vão trabalhar normalmente, aguardando assim pelas equipas de saúde que irão realizar a testagem”, disse Luísa Grilo, no pequeno acto que marcou o arranque das aulas.

Esta manhã, como o Novo Jornal constatou em algumas escolas de Luanda, as aulas presencias foram marcadas pela fraca presença dos alunos nas turmas, uma situação que a ministra da Educação considerou como sendo normal.

“Ainda não visitei as escolas todas em Luanda, mas o relato que estou a receber dos colegas das outras províncias é que o regresso aulas está acima das espectativas”, declarou.

No entanto, o Novo Jornal verificou essa manhã junto do Instituto Médio de Economia de Luanda (IMEL), Instituto Médio Industrial de Luanda (IMIL), Escola Comercial, INE-Marista e escola Njinga Mbandi, o não cumprimento do distanciamento físico por arte dos alunos, apesar destas instituições terem todas os avisos de observância da covid-19 estampados à entrada.

O Ministério da Educação definiu a redução do programa de ensino, para estar adequado ao calendário ajustado em função da pandemia da Covid-19. Cada turma terá apenas 30 alunos, respeitando o distanciamento de um metro e meio.

As autoridades sanitárias recomendam a lavagem das mãos com frequência ou a sua desinfecção com álcool-gel, sem descurar o uso da máscara durante as aulas.

De lembrar que as aulas recomeçaram hoje apenas nas classes de exame, ou seja, 6ª, 9ª, 12ª e 13ª. Para o dia 19 de Outubro está previsto o reinício das aulas para as classes de transição, nomeadamente, 7ª classe, 8ª e 11ª. No dia 26 deste mês poderão retomar os alunos da 1ª, 2ª e 3ª classe.

Segundo o Ministério da Educação, nos primeiros cinco minutos de aulas, os professores devem fazer uma pequena abordagem sobre a covid-19.

FonteNJ

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.