- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo Lusófono Moçambique Moçambique e África Sul reabrem fronteiras

Moçambique e África Sul reabrem fronteiras

O presidente da Confederação das Associações Económicas de Moçambique, Agostinho Vuma, acredita que a reabertura das fronteiras entre Moçambique e África do Sul, prevista para esta quinta-feira, pode dinamizar as trocas comerciais e contribuir para a retoma da economia nacional.

Durante o fórum virtual de negócios entre empresários de moçambicanos e sul africanos, o presidente da Confederação das Associações Económicas de Moçambique defendeu que a reabertura das fronteiras entre Moçambique e África do Sul, prevista para esta quinta-feira, pode dinamizar as trocas comerciais e contribuir para a retoma da economia nacional afectada pela pandemia da Covid-19.

“Precisamos de encontrar formas de melhorar a fluidez do tráfego na fronteira de Ressano Garcia. Estamos ansiosos pelo restabelecimento das viagens de negócio, do turismo entre os nossos dois países o que vai contribuir para uma melhor concretização das diversas oportunidades”, sublinhou.

Agostinho Vuma referiu que este momento deve ser aproveitado para o reforço dos laços económicos já existentes, mas que abrandaram na sequência da pandemia, ou para a aposta em novas oportunidades que possam contribuir para projectos de desenvolvimento das economias dos dois países.

O agronegócio, turismo, recursos minerais, energia limpa, pesca, aquacultura e indústria de processamento de pescado são alguns dos sectores nos quais Moçambique e África do Sul podem cooperar.

O presidente da Confederação das Associações Económicas de Moçambique mostrou-se confiante no projecto de petróleo e gás na bacia do Rovuma, avaliado em 30 mil milhões de dólares, lembrando que poderá, no futuro, colocar Moçambique como um principais actores na produção de petróleo e gás a nível mundial.

Agostinho Vuma salientou que o Acordo de Livre Comércio em vigor em África é uma importante plataforma para o aproveitamento das oportunidades económicas no continente.

- Publicidade -
FonteRFI
- Publicidade -

Economia de Angola sofre recessão de 8,8% no segundo trimestre

A economia de Angola registou um crescimento negativo de 8,8% no segundo trimestre deste ano face ao período homólogo, anunciou hoje o Instituto Nacional...
- Publicidade -

Explosão de engenho provoca três feridos no Cunene

Três pessoas com idade entre 36 a 47 anos de idade ficaram, nesta segunda-feira, gravemente feridas, na localidade de Oshomukuyo, arredores da cidade de...

Malanje: CASA-CE quer mais empenho dos quadros

O secretário provincial executivo da CASA-CE em Malanje, Moisés Ngunza, pediu mais acções dos quadros da organização, para a revitalização da coligação, face aos...

Samakuva defende diálogo entre forças políticas

O ex-líder da UNITA, Isaías Samakuva, defendeu, esta segunda-feira, o diálogo entre o Governo e as formações políticas, para evitar "situações susceptíveis de perturbar...

Notícias relacionadas

Economia de Angola sofre recessão de 8,8% no segundo trimestre

A economia de Angola registou um crescimento negativo de 8,8% no segundo trimestre deste ano face ao período homólogo, anunciou hoje o Instituto Nacional...

Explosão de engenho provoca três feridos no Cunene

Três pessoas com idade entre 36 a 47 anos de idade ficaram, nesta segunda-feira, gravemente feridas, na localidade de Oshomukuyo, arredores da cidade de...

Malanje: CASA-CE quer mais empenho dos quadros

O secretário provincial executivo da CASA-CE em Malanje, Moisés Ngunza, pediu mais acções dos quadros da organização, para a revitalização da coligação, face aos...

Samakuva defende diálogo entre forças políticas

O ex-líder da UNITA, Isaías Samakuva, defendeu, esta segunda-feira, o diálogo entre o Governo e as formações políticas, para evitar "situações susceptíveis de perturbar...

Juristas angolanos alegam que estado de calamidade pública não impede direito de manifestação

Governo proibiu uma manifestação programada para sábado passado. Juristas angolanos concordaram esta segunda-feira que o decreto do estado de calamidade pública não se sobrepõe à...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.