- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo EUA Trump é “moralmente falido” e agora “também é financeiramente imoral”: O caso...

Trump é “moralmente falido” e agora “também é financeiramente imoral”: O caso dos impostos vai derrotá-lo ou vai ser esquecido?

Investigação divulgada pelo “New York Times” mostra que Donald Trump pagou apenas 750 dólares em impostos federais no ano em que venceu as eleições e o mesmo valor no ano seguinte.

Também deve milhões e se “que estava moralmente falido” fica agora confirmado que “também é financeiramente imoral” e que “todo o seu império de negócios é como que um castelo de cartas à beira de desabar”. Falta pouco mais de um mês para as eleições presidenciais. Será possível esquecer isto até lá?

Quando em 2017 foi divulgada uma gravação do programa “Access Hollywood”, em que Donald Trump se gabava de apalpar as mulheres e não sofrer quaisquer consequências por ser “uma estrela”, a sua base de apoio manteve-se intacta e o mesmo aconteceu quando se imiscuiu de assumir uma posição manifestamente contra a extrema-direita que desfilou em Charlottesville e se envolveu em confrontos durante a marcha, no mesmo ano, e no decurso do processo de ‘impeachment’ de que foi alvo por parte dos democratas.
Desta vez, porém, poderá ser diferente.

Assim diz ao Expresso Russell Schaffer, gestor de relações públicas. “Uma coisa que aprendemos sobre Donald Trump é que, independentemente de todas as histórias e notícias negativas sobre ele, a sua base de apoio mantém-se a mesma. Há cerca de 40% de eleitores que, faça ele o que dizer, ou diga o que disser, vai apoiá-lo”, começa por dizer o investigador, para logo rematar: “Será que o facto de ter fugido aos impostos durante grande parte dos últimos 20 anos poderá fazer as pessoas mudar de ideias, de voto? Acho que sim, acho que desta vez pode ser diferente.” E porquê? Já lá vamos.

- Publicidade -
- Publicidade -

Economia de Angola sofre recessão de 8,8% no segundo trimestre

A economia de Angola registou um crescimento negativo de 8,8% no segundo trimestre deste ano face ao período homólogo, anunciou hoje o Instituto Nacional...
- Publicidade -

Explosão de engenho provoca três feridos no Cunene

Três pessoas com idade entre 36 a 47 anos de idade ficaram, nesta segunda-feira, gravemente feridas, na localidade de Oshomukuyo, arredores da cidade de...

Malanje: CASA-CE quer mais empenho dos quadros

O secretário provincial executivo da CASA-CE em Malanje, Moisés Ngunza, pediu mais acções dos quadros da organização, para a revitalização da coligação, face aos...

Samakuva defende diálogo entre forças políticas

O ex-líder da UNITA, Isaías Samakuva, defendeu, esta segunda-feira, o diálogo entre o Governo e as formações políticas, para evitar "situações susceptíveis de perturbar...

Notícias relacionadas

Economia de Angola sofre recessão de 8,8% no segundo trimestre

A economia de Angola registou um crescimento negativo de 8,8% no segundo trimestre deste ano face ao período homólogo, anunciou hoje o Instituto Nacional...

Explosão de engenho provoca três feridos no Cunene

Três pessoas com idade entre 36 a 47 anos de idade ficaram, nesta segunda-feira, gravemente feridas, na localidade de Oshomukuyo, arredores da cidade de...

Malanje: CASA-CE quer mais empenho dos quadros

O secretário provincial executivo da CASA-CE em Malanje, Moisés Ngunza, pediu mais acções dos quadros da organização, para a revitalização da coligação, face aos...

Samakuva defende diálogo entre forças políticas

O ex-líder da UNITA, Isaías Samakuva, defendeu, esta segunda-feira, o diálogo entre o Governo e as formações políticas, para evitar "situações susceptíveis de perturbar...

Juristas angolanos alegam que estado de calamidade pública não impede direito de manifestação

Governo proibiu uma manifestação programada para sábado passado. Juristas angolanos concordaram esta segunda-feira que o decreto do estado de calamidade pública não se sobrepõe à...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.