- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo Europa UE apela à cessação de hostilidades no Nagorno-Karabakh

UE apela à cessação de hostilidades no Nagorno-Karabakh

A União Europeia apelou à Arménia e ao Azerbaijão no sentido de terminarem as hostilidades na região de Nagorno-Karabakh iniciadas no domingo.

Trata-se de um dos conflitos mais velhos do mundo cujas origens remontam à primeira metade dos anos 90.

Os combates de domingo levantaram receios de que várias potências regionais poderiam ser arrastadas para este conflito.

“Apelamos a todos para fazerem tudo de forma a evitar uma guerra porque isto é a última coisa de que esta região necessita. A escalada de tensões em torno do Nagorno-Karabakh é preocupante porque pode levar a uma escalada com consequências sérias para a estabilidade regional. É por isso que a UE apela oficialmente a ambos os lados para cessarem a violência e o confronto armado”, apela o porta-voz da União Europeia, Peter Stano.

A Alemanha descreveu a situação na região como preocupante e repetiu o apelo lançado pela União Europeia.

“O governo alemão vê esta eclosão do conflito entre a Arménia e o Azerbaijão como um desenvolvimento muito perigoso da situação, apelamos a ambos os lados no sentido de um cessar-fogo imediato e um regresso às negociações. Existe um local apropriado para isto que o o Grupo de Minsk da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa. Esse é o nosso apelo a ambos os lados”, lançou o porta-voz da Chanceler Angela Merkel, Steffen Seibert.

O presidente turco também reagiu colocando-se do lado do Azerbaijão.

“De novo, condeno a Arménia por ter atacado território do Azerbaijão ontem. A Turquia irá continuar a apoiar o país amigo e irmão Azerbaijão com quaisquer meios possíveis”, declarou o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan.

A Rússia apelou igualmente à contenção de ambos os lados.

Ainda não são conhecidas as circunstâncias que levaram à violência.

A União Europeia espera que o ciclo de violência na região de Nagorno-Karabakh possa ser resolvido com brevidade.

- Publicidade -
- Publicidade -

Economia de Angola sofre recessão de 8,8% no segundo trimestre

A economia de Angola registou um crescimento negativo de 8,8% no segundo trimestre deste ano face ao período homólogo, anunciou hoje o Instituto Nacional...
- Publicidade -

Explosão de engenho provoca três feridos no Cunene

Três pessoas com idade entre 36 a 47 anos de idade ficaram, nesta segunda-feira, gravemente feridas, na localidade de Oshomukuyo, arredores da cidade de...

Malanje: CASA-CE quer mais empenho dos quadros

O secretário provincial executivo da CASA-CE em Malanje, Moisés Ngunza, pediu mais acções dos quadros da organização, para a revitalização da coligação, face aos...

Samakuva defende diálogo entre forças políticas

O ex-líder da UNITA, Isaías Samakuva, defendeu, esta segunda-feira, o diálogo entre o Governo e as formações políticas, para evitar "situações susceptíveis de perturbar...

Notícias relacionadas

Economia de Angola sofre recessão de 8,8% no segundo trimestre

A economia de Angola registou um crescimento negativo de 8,8% no segundo trimestre deste ano face ao período homólogo, anunciou hoje o Instituto Nacional...

Explosão de engenho provoca três feridos no Cunene

Três pessoas com idade entre 36 a 47 anos de idade ficaram, nesta segunda-feira, gravemente feridas, na localidade de Oshomukuyo, arredores da cidade de...

Malanje: CASA-CE quer mais empenho dos quadros

O secretário provincial executivo da CASA-CE em Malanje, Moisés Ngunza, pediu mais acções dos quadros da organização, para a revitalização da coligação, face aos...

Samakuva defende diálogo entre forças políticas

O ex-líder da UNITA, Isaías Samakuva, defendeu, esta segunda-feira, o diálogo entre o Governo e as formações políticas, para evitar "situações susceptíveis de perturbar...

Juristas angolanos alegam que estado de calamidade pública não impede direito de manifestação

Governo proibiu uma manifestação programada para sábado passado. Juristas angolanos concordaram esta segunda-feira que o decreto do estado de calamidade pública não se sobrepõe à...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.