- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo Europa Turquia multiplica acções diplomáticas para evitar sanções da União Europeia

Turquia multiplica acções diplomáticas para evitar sanções da União Europeia

Depois de ter apelidado o Presidente Emmanuel Macron de “neo-colonialista” e “aprendiz de Napoleão”, o seu homólogo turco Recep Tayyp Erdogan tenta agora apaziguar os ânimos, para evitar sanções da União Europeia e está mesmo disposto a dialogar com a Grécia.

Perante o espectro de sanções contra a Turquia no próximo Conselho Europeu, originalmente programado para esta semana, mas, entretanto, adiado para a próxima, devido à quarentena do presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, Ancara multiplicou-se em diversas iniciativas diplomáticas para evitar o pior.

Primeiro no seio da NATO, onde militares da Turquia e da Grécia estão em contacto há diversos dias, depois através de uma reunião trilateral, entre o presidente turco Recep Tayyip Erdogan, a chanceler alemã Angela Merkel e Charles Michel, e esta terça-feira, 22 de Setembro, numa longa – mais de uma hora, conversa telefónica entre Erdogan e o presidente Francês Emmanuel Macron.

O tom é de apaziguamento por parte de Ancara, que também mandou regressar ao porto o navio de prospecção sísmica, que estava a operar em águas reivindicadas pela Grécia, acalmando assim a situação no volátil mediterrâneo oriental.

“A Turquia defende a via do diálogo e da cooperação para resolver problemas”, disse Erdogan, avisando que “a tensão surgiu porque se ignoraram os direitos legítimos dos turcos e dos cipriotas turcos…queremos resolver todos os problemas à mesa de negociações”, disse Erdogan, que antes assumiu posições bem mais beligerantes.

O presidente turco confirmou que negociações bilaterais com a Grécia iriam recomeçar, para tentar resolver a questão da jurisdição marítima, na base da tensão.

Nas últimas semanas verdadeiros jogos de guerra levaram o Leste do mediterrâneo ao rubro, com aviões, helicópteros e navios gregos e turcos face a face.

Ancara espera agora uma atitude construtiva por parte da União Europeia

Grécia, Chipre e França defenderam até agora a imposição de pesadas sanções contra a Turquia, que poderiam agravar a profunda crise económica que o país atravessa.

Estes países da UE acusam a Turquia de desrespeitar a soberania dos estados membros e de provocações militaristas e a França enviou mesmo navios e aviões militares para a região.

Após a conversa telefónica de ontem, um comunicado do Palácio do Eliseu – a presidência francesa – confirmou que a “França estava sempre pronta a dialogar”, e reiterou “a importância da relação entre a Turquia e a UE”.

Antes deste apaziguamento, Ancara tinha criticado a atitude “neo-colonialista”, e chamou a Macron um “aprendiz de Napoleão”.

- Publicidade -
FonteRFI
- Publicidade -

Economia de Angola sofre recessão de 8,8% no segundo trimestre

A economia de Angola registou um crescimento negativo de 8,8% no segundo trimestre deste ano face ao período homólogo, anunciou hoje o Instituto Nacional...
- Publicidade -

Explosão de engenho provoca três feridos no Cunene

Três pessoas com idade entre 36 a 47 anos de idade ficaram, nesta segunda-feira, gravemente feridas, na localidade de Oshomukuyo, arredores da cidade de...

Malanje: CASA-CE quer mais empenho dos quadros

O secretário provincial executivo da CASA-CE em Malanje, Moisés Ngunza, pediu mais acções dos quadros da organização, para a revitalização da coligação, face aos...

Samakuva defende diálogo entre forças políticas

O ex-líder da UNITA, Isaías Samakuva, defendeu, esta segunda-feira, o diálogo entre o Governo e as formações políticas, para evitar "situações susceptíveis de perturbar...

Notícias relacionadas

Economia de Angola sofre recessão de 8,8% no segundo trimestre

A economia de Angola registou um crescimento negativo de 8,8% no segundo trimestre deste ano face ao período homólogo, anunciou hoje o Instituto Nacional...

Explosão de engenho provoca três feridos no Cunene

Três pessoas com idade entre 36 a 47 anos de idade ficaram, nesta segunda-feira, gravemente feridas, na localidade de Oshomukuyo, arredores da cidade de...

Malanje: CASA-CE quer mais empenho dos quadros

O secretário provincial executivo da CASA-CE em Malanje, Moisés Ngunza, pediu mais acções dos quadros da organização, para a revitalização da coligação, face aos...

Samakuva defende diálogo entre forças políticas

O ex-líder da UNITA, Isaías Samakuva, defendeu, esta segunda-feira, o diálogo entre o Governo e as formações políticas, para evitar "situações susceptíveis de perturbar...

Juristas angolanos alegam que estado de calamidade pública não impede direito de manifestação

Governo proibiu uma manifestação programada para sábado passado. Juristas angolanos concordaram esta segunda-feira que o decreto do estado de calamidade pública não se sobrepõe à...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.