- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Angola Sociedade Albinos queixam-se de abandono e discriminação na província do Uíge

Albinos queixam-se de abandono e discriminação na província do Uíge

A Associação dos Albinos do Uíge, em Angola, queixa-se da falta de apoio e atenção das autoridades locais em função das dificuldades do dia-a-dia.

“Precisamos do apoio do Governo porque os produtos para o tratamento da pele deles está a ser difícil de adquirir pelo fato dos preços serem mais altos nas farmácias”, disse o pai de um albino que pediu o anonimato, enquanto outro se queixou da falta de “condições para pagar”.

O presidente da associação David Paulo Bunga lembra que os albinos têm sido vítimas de exclusão e de estigmatização em vários sectores, como no acesso ao emprego na função pública, aquisição de habitação e a participação em organizações juvenis.

“O albino não e visto como pessoa, não tem acesso ao emprego na função pública, não tem direito uma casa nos grandes projectos habitacionais do Governo, quando há reunião somos colocados de lado”, Bunga.

Diante dessas dificuldades, ele disse ser obrigado a pedir uma audiência ao governador Sérgio Luther Rescova para em conjunto analisarem o problema dos albinos na província.

A associação tem registados 123 albinos na província.

- Publicidade -
FonteVoA
- Publicidade -

China alerta firmas suecas sobre acção idêntica após proibição da Huawei

Segundo o Vanguard,  a China aconselhou a Suécia a levantar a proibição das suas empresas chinesas de tecnologia da rede 5G, alertando-a sobre  os...
- Publicidade -

Unitel distinguida pelo combate à fraude

A operadora angolana de telefonia móvel Unitel foi distinguida, com o reconhecimento de mérito, pela promoção, durante dois anos, do combate à fraude e...

Sudão prestes a sair da lista negra americana

Depois de meses de negociações entre as autoridades transitórias sudanesas e a administração americana, Cartum está prestes a sair da lista dos países que...

Tiros contra manifestantes geram onda de indignação na Nigéria

As hashtags #EndSARS e #LekkiMassacre proliferam-se pelas contas no Twitter após tiros atingirem manifestantes num protesto contra a polícia em Lagos. Amnistia Internacional trabalha...

Notícias relacionadas

China alerta firmas suecas sobre acção idêntica após proibição da Huawei

Segundo o Vanguard,  a China aconselhou a Suécia a levantar a proibição das suas empresas chinesas de tecnologia da rede 5G, alertando-a sobre  os...

Unitel distinguida pelo combate à fraude

A operadora angolana de telefonia móvel Unitel foi distinguida, com o reconhecimento de mérito, pela promoção, durante dois anos, do combate à fraude e...

Sudão prestes a sair da lista negra americana

Depois de meses de negociações entre as autoridades transitórias sudanesas e a administração americana, Cartum está prestes a sair da lista dos países que...

Tiros contra manifestantes geram onda de indignação na Nigéria

As hashtags #EndSARS e #LekkiMassacre proliferam-se pelas contas no Twitter após tiros atingirem manifestantes num protesto contra a polícia em Lagos. Amnistia Internacional trabalha...

Último debate entre Trump e Biden com microfones silenciados

Faltam duas semanas para as eleições e as campanhas dos candidatos à Casa Branca já estão em contrarrelógio. Na quinta-feira, Donald Trump e Joe...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.