Radio Calema
InicioEconomiaRecredit de "banco ruim" recebe generosos fundos do Tesouro, mas sem comparticipação...

Recredit de “banco ruim” recebe generosos fundos do Tesouro, mas sem comparticipação dos seus devedores

Nas suas análises sobre o desempenho da nossa economia, o jornal Africa Intelligent revela que “as autoridades angolanas,  pretendem demonstrar que terminou a era dos empréstimos fáceis para os notáveis ​​do regime,  e fazem um grande relato sobre o desempenho da empresa de recuperação do crédito malparado, Recredit”. “O sucesso deste último – diz o jornal “não é o que parece”.  Porque  “o seu balanço é amplamente financiado pelo Estado, e não pelos seus devedores”.

Com um plano de recapitalização avaliado em 1,08 mil milhões de kwanzas, o Banco de Poupança e Crédito, BPC, de capitais públicos beneficiou de uma importante injecção financeira em títulos do tesouro, anunciada em Março por Walter Pacheco, director da Unidade de Gestão da Dívida.

O secretário de Estado das Finanças e Tesouro, Osvaldo João, afirmou na ocasião, durante um encontro institucional, que a Recredit, instituída para recuperação do crédito malparado, foi recapitalizada “há muito”, com Títulos do Tesouro avaliados em 440 mil milhões de kwanzas.

A Recredit, segundo o governante terá recebido “cerca de 950 mil milhões de kwanzas do BPC em crédito malparado para, depois “absorver os valores da recapitalização”, terá dito na ocasião, o secretário de Estado, especificando que “o objectivo do Executivo é libertar o BPC do crédito malparado e transformá-lo numa “boa instituição”, conferindo à Recredit, a missão das cobranças difíceis.

Segundo dados em nossa posse,  o Estado tem como propósito injectar três mil milhões de dólares na recapitalização do BPC e o Banco Económico e envolver-se na compra de 25 por cento das acções da Unitel à Sonangol.

Sabe-se que este processo evoluíu ao longo dos últimos meses, com alguns percalços consubstanciados em operações menos claras por parte de alguns funcionários entretanto neutralizados e que dão a idéia de que as manobras internas estão sob controlo e não devem prejudicar a missão de banco comercial público de peso na economia angolana.

 

 

FontePA

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.