- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo Lusófono Moçambique União Europeia aloca 25 milhões de euros para os 250.000 deslocados em...

União Europeia aloca 25 milhões de euros para os 250.000 deslocados em Cabo Delgado

A União Europeia garantiu 25 milhões de euros para assistência humanitária aos mais de 250.000 deslocados devido à violência em Cabo Delgado, soma que representa metade dos 50 milhões de euros que os países europeus vão destinar a Moçambique, no quadro do apoio à região norte do país, palco de ataques desde 2017, anunciou em Maputo o representante da UE, embaixador António Sanchez-Benedito Gaspar.

O parlamento europeu analisou esta quinta-feira, 17 de Setembro a situação em Cabo Delgado e a comissária europeia responsável pelas Parcerias Internacionais, Jutta Urpilainen, considerou “extremamente chocante” o recente relatório da Amnistia Internacional sobre violações de direitos humanos no norte de Moçambique.

A comissária defendeu uma investigação “transparente e efectiva”, incluindo às alegações que envolvem membros das forças de segurança.

Jutta Urpilainen mostrou-se preocupada com a situação na região, num debate, que decorreu na manhã desta quinta-feira, 17 de Setembro, no plenário do Parlamento Europeu. “Hoje, o norte de Moçambique enfrenta uma nova ameaça, um surto de violência armada, com uma dimensão regional perigosa”.

A comissária garantiu que a União Europeia está disponível para ajudar Moçambique. “Temos uma relação política e de desenvolvimento forte com Moçambique e estamos prontos a discutir opções para assistência. Congratulo-me também por vos informar que o governo e a UE abriram um diálogo político focado em desenvolvimentos humanitários e questões de segurança em Cabo Delgado”.

Nas suas intervenções, os deputados também mostraram preocupação e apelaram à ajuda europeia.

Paulo Rangel, do PSD, pediu à União Europeia para não esquecer o país. “Não podemos deixar Moçambique e os moçambicanos no esquecimento”, afirmou alertando para o drama humanitário no norte do país.

No mesmo sentido, interveio a eurodeputada do PS Isabel Santos, que defendeu a necessidade de a União Europeia dar uma resposta humanitária e projectar um programa de desenvolvimento e paz para a região, articulado com governos e organizações locais.

- Publicidade -
FonteRFI
- Publicidade -

Explosão de engenho provoca três feridos no Cunene

Três pessoas com idade entre 36 a 47 anos de idade ficaram, nesta segunda-feira, gravemente feridas, na localidade de Oshomukuyo, arredores da cidade de...
- Publicidade -

Malanje: CASA-CE quer mais empenho dos quadros

O secretário provincial executivo da CASA-CE em Malanje, Moisés Ngunza, pediu mais acções dos quadros da organização, para a revitalização da coligação, face aos...

Samakuva defende diálogo entre forças políticas

O ex-líder da UNITA, Isaías Samakuva, defendeu, esta segunda-feira, o diálogo entre o Governo e as formações políticas, para evitar "situações susceptíveis de perturbar...

Juristas angolanos alegam que estado de calamidade pública não impede direito de manifestação

Governo proibiu uma manifestação programada para sábado passado. Juristas angolanos concordaram esta segunda-feira que o decreto do estado de calamidade pública não se sobrepõe à...

Notícias relacionadas

Explosão de engenho provoca três feridos no Cunene

Três pessoas com idade entre 36 a 47 anos de idade ficaram, nesta segunda-feira, gravemente feridas, na localidade de Oshomukuyo, arredores da cidade de...

Malanje: CASA-CE quer mais empenho dos quadros

O secretário provincial executivo da CASA-CE em Malanje, Moisés Ngunza, pediu mais acções dos quadros da organização, para a revitalização da coligação, face aos...

Samakuva defende diálogo entre forças políticas

O ex-líder da UNITA, Isaías Samakuva, defendeu, esta segunda-feira, o diálogo entre o Governo e as formações políticas, para evitar "situações susceptíveis de perturbar...

Juristas angolanos alegam que estado de calamidade pública não impede direito de manifestação

Governo proibiu uma manifestação programada para sábado passado. Juristas angolanos concordaram esta segunda-feira que o decreto do estado de calamidade pública não se sobrepõe à...

PR nomeia Jomo Fortunato ministro da Cultura

Em nota, a Casa Civil refere que antes, noutro decreto, o Presidente da República exonerou Adjany da Silva Freitas Costa, do cargo de ministra...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.