- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo Lusófono Moçambique Vídeo chocante de assassinato de mulher por militares moçambicanos obriga Governo a...

Vídeo chocante de assassinato de mulher por militares moçambicanos obriga Governo a investigar

Um vídeo divulgado nos últimos dias nas redes sociais, no qual alegados membros das Forças de Defesa e Segurança de Moçambique batem e matam uma mulher num local não identificado, tem provocado fortes reacções no país.

O Ministério da Defesa Nacional emitiu um comunicado na noite de segunda-feira, 14, no qual diz que “as Forças de Defesa e Segurança (FDS) consideram as imagens chocantes, abusivas, repugnantes, horripilantes e acima de tudo condenáveis em todas as suas dimensões”.

O assassinato da senhora à queima-roupa vai ser investigado porque, segundo o Ministério, “fatos desta natureza deverão sempre ser denunciados por todas as forças vivas da sociedade, devendo ser investigados para apurar a sua autenticidade e veracidade, com vista à devida responsabilização”.

A nota não dá detalhes sobre quem fará a investigação nem o prazo para a sua conclusão.

Quem também reagiu foi o bastonário da Ordem dos Advogados que considerou o assassinato da senhora de repugnante e condenável “porque se trata de uma barbárie”.

Em conferência de imprensa em Maputo, Duarte Casimiro instou as instituições estatais competentes a iniciarem uma investigação para a identificação e condenação dos autores.

“Quem de direito que tenha tomado conhecimento deste vídeo que se preocupe em criar condições para fazer uma investigação séria, independente e bastante profunda até em defesa daquilo que são os interesses das próprias Forças de Defesa e Segurança”, acrescentou Duarte Casimiro, lembrando que as imagens de abusos de direitos humanos por parte de membros das FDS estão a tornar-se repetitivas.

Organizações internacionais de defesa dos direitos humanos e activistas moçambicanos têm denunciado violações de direitos humanos por parte das FDS e exigido medidas ao Governo moçambicano.

Na semana passada, a Amnistia Internacional exortou pessoas que tenham vídeos dessas violações que as publiquem, enquanto há pouco mais de um mês a investigadora da Human Rights Watch Zenaida Machado exortou, em declarações à VOA, o Presidente Filipe Nyusi, na qualidade de comandante em chefe das FDS, a tomar pedidas para evitar essas violações.

No vídeo, de cerca de dois minutos e cujo conteúdo, pela sua violência, é impublicável, vêem-se homens com uniforme das FDS a aproximar-se de uma mulher nua, que é agredida e depois morta a rajadas de metralhadora.

No final, ouve-se em português os homens a dizerem “já mataram a al-Shabab”, como é conhecido o grupo de insurgentes que tem atacado a província de Cabo Delgado desde outubro de 2017.

- Publicidade -
FonteVoA
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.