- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Angola Regiões Jamba Cueio declarada livre de minas

Jamba Cueio declarada livre de minas

A comuna do Jamba Cueio, no município de Menongue, província do Cuando Cubango, está totalmente livre de minas, o que vai permitir, doravante, a implantação de equipamentos sociais e acções de impacto económico.

Os trabalhos de desminagem duraram três meses, levados a cabo pelo Instituto Nacional de Desminagem (INAD).

A brigada do INAD removeu, durante este período, mais de 70 engenhos explosivos, implantados num espaço de cerca de 170 mil metros quadrados.

Jamba Cueio, assim como outros pontos do Cuando Cubango, é uma das localidades que sofreu com efeitos da guerra que assolou Angola durante décadas, com um envolvimento directo no teatro das operações militares, devido, também, à sua localização geoestratégica privilegiada.

Além da circulação de pessoas e bens, que estava condicionada ao longo desses anos, o sector da agricultura estava negativamente afectada, uma vez que os engenhos ocupavam largas extensões de terras aráveis para o cultivo de várias culturas, com destaque para massango, massambala, milho, mandioca, feijão-frade, entre outras.

Com a desminagem feita, abra-se assim uma grande oportunidade para a extensão dos campos cultiváveis.

Sexta-feira, o governador do Cuando Cubango, Júlio Bessa, irá receber o certificado que declara a comuna do Jamba Cueio livre de minas.

A deslocação do governante a esta localidade irá permitir o lançamento do Pólo Agrícola Comunitário, enquadrado no Programa do Governo Provincial de incentivo à agricultura familiar.

Serão mais de 100 hectares que, depois de preparados, serão distribuídos a cerca de 80 famílias camponesas locais, que irão receber sementes diversas, charruas, catanas, enxadas e apoio técnico para que os resultados das próximas campanhas agrícolas estejam à altura do investimento.

O governador Júlio Bessa irá proceder igualmente ao lançamento do Programa de Reconstrução do Jamba Cueio, no âmbito do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), com vista a melhorar a condição social dos mais de quatro mil habitantes.

Serão implantadas infra-estruturas e serviços ligados à educação e ensino, saúde, segurança e ordem pública, formação profissional, agricultura e pecuária.

- Publicidade -
FonteAngop
- Publicidade -

“Não há garantia de que uma única vacina em desenvolvimento funcione”

O director-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS) fez há instantes uma conferência de imprensa onde sublinhou a importância da instituição no combate a...
- Publicidade -

As chaves para um Sahel pacífico

O Dia Mundial da Paz deve ser um dia que inspira esperança aos sahelianos, e o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) está...

Desvendada a causa da misteriosa morte de 300 elefantes no Botswana

Uma cianobactéria foi a causa da misteriosa morte de cerca de 300 elefantes no Botswana em meados deste ano, anunciou hoje o Governo. Acausa da...

Guiné Equatorial exige reformas na ONU e critica primazia do poder

O Presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang Nguema Mbasogo, pediu hoje a renovação e modernização do sistema da Organização das Nações Unidas (ONU), tecendo...

Notícias relacionadas

“Não há garantia de que uma única vacina em desenvolvimento funcione”

O director-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS) fez há instantes uma conferência de imprensa onde sublinhou a importância da instituição no combate a...

As chaves para um Sahel pacífico

O Dia Mundial da Paz deve ser um dia que inspira esperança aos sahelianos, e o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) está...

Desvendada a causa da misteriosa morte de 300 elefantes no Botswana

Uma cianobactéria foi a causa da misteriosa morte de cerca de 300 elefantes no Botswana em meados deste ano, anunciou hoje o Governo. Acausa da...

Guiné Equatorial exige reformas na ONU e critica primazia do poder

O Presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang Nguema Mbasogo, pediu hoje a renovação e modernização do sistema da Organização das Nações Unidas (ONU), tecendo...

Jovem malaia luta pelo direito de não usar véu islâmico

A decisão de deixar de usar o véu islâmico e denunciá-lo como uma obrigação patriarcal valeu a Maryam Lee muitas críticas e uma investigação...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.