- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Angola Sociedade Igreja apela à ponderação da sociedade

Igreja apela à ponderação da sociedade

A líder espiritual da Igreja Teosófica Espírita, profetiza Suzete João, apelou esta terça-feira aos membros da sociedade angolana à calma, paciência, ponderação e ao diálogo, face aos constrangimentos impostos pela Covid-19.

Ao falar à imprensa, no final da reunião extraordinária do Conselho da República, a religiosa considerou importante a manutenção dos programas de sensibilização da sociedade e defendeu a criação de um ambiente de paz no país, na base do respeito pela vida.

Por seu lado, Adalberto Costa Júnior, presidente da UNITA, disse que a não realização, este ano, das eleições autárquicas representa uma decepção para os cidadãos do país, argumentando que a pandemia da Covid-19 não justifica, pelos seus números, o adiamento das mesmas.

Deste modo, advogou a busca de um consenso que permita a realização das eleições autárquicas ainda este ano.

Quanto à Covid-19, enalteceu o facto de o Governo ter tomado a iniciativa, em tempo adequado (Março), para combater a pandemia, mas considerou importante fazer-se mais.

Já André Mendes de Carvalho, da CASA-CE, entende que o Presidente da República está no direito de tomar a decisão que achar mais oportuna e que solucione os problemas da governação.

“Sobre as autarquias, está claro para todo o mundo que este ano foi difícil e que não se criaram as condições necessárias para que as eleições pudessem acontecer”, admitiu o político.

O líder do PRS, Benedito Daniel, ao pronunciar-se também acerca do adiamento das eleições autárquicas, afirmou que as justificações não foram convincentes, embora reconheça a inexistência de condições para a sua realização este ano.

Por sua vez, o presidente da FNLA, Lucas Ngonda, defendeu a criação de um programa para a implementação das autarquias no país.

Governo reafirma realização de eleições autárquicas

O ministro da Administração do Território, Marcy Lopes, reiterou a necessidade da continuação do trabalho relativo à preparação e organização do processo eleitoral autárquico, mormente a criação de condições nos domínios da formação de recursos humanos e das infraestruturas administrativas.

Segundo o dirigente, em termos globais, existem tarefas que estão em fase de implementação por parte do Executivo, tendo em vista a realização das eleições autárquicas.

O comunicado divulgado no final da sessão do Conselho da República defende a realização das eleições para o “momento em que as condições para o efeito o permitirem”.

- Publicidade -
FonteAngop
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.